07.11.2013

40 Semanas: Resumo da 13ª Semana

Conversamos aqui no JV e foi decidido que os posts sobre a gravidez serão publicados duas vezes na semana, as terças e quintas-feiras, desta forma, vocês já se acostumam a ter estes posts nestes dias.

Como sou cheia de planejar as coisas (vocês já devem ter percebido né?), pensei em escrever na terça posts contando algumas curiosidades da minha gestação, dicas de produtos, meus planos, enfim, posts mais amenos. As quintas os posts serão sobre o resumo da minha semana de gestação, já que toda quarta-feira completo semana de gestação. Penso que deste modo fica mais organizado, o que vocês acham?

Estou fazendo assim, porque depois vai servir de recordação para o meu bebê. Tenho certeza de que ele ou ela ficará muito feliz de ver todo este cantinho planejado especialmente para eternizá-lo(a).

mulher-gravida

Bem, seguindo esta linha, o post de hoje é um resumo da minha 13ª semana de gestação, que foi do dia 30 de outubro a 6 de setembro.

Na 13ª semana meus enjôos e vômitos diminuíram bastante, embora não tenham cessado. Fiquei mais feliz e animada por não vomitar tanto e até fui para cozinha algumas vezes. Mas no sábado quis comer pizza e vomitei na hora!

Na sexta-feira, dia 1º de novembro, fiz a ultrassonografia obstétrica para medir a nuca do bebê (translucência nucal – TN). Este exame é feito entre a 13ª e 14ª semana e serve para verificar se o bebê tem alguma má-formação ou síndrome (como a de Down), por exemplo. Também é possível, em muitos casos, ver o sexo do bebê.

Fiquei muito animada e me ensinaram a comer chocolate 15 minutos antes do exame para o bebê ficar agitadinho e abrir as perninhas. Fiz isso e meu bebê parecia que estava dançando kuduro (mãos para cima, cintura solta, dá meia volta, dança kuduro). O bebê estava exatamente assim!

gravidez

Vimos tudo, mãozinhas, pezinhos, dedos, estômago e coração. O bebê ficou de frente, de costas, de lado, enfim vimos tudo, mas o médico disse que não arrisca falar o sexo antes de 20 semanas, pois já errou o palpite em 2 casos e não gostou. Meu marido tem certeza que é menina. Em certo momento o bebê virou de frente para nós de perninhas abertas e não tem nada entre as perninhas. Eu não sei…

O resultado da TN foi satisfatório, o bebê é saudável, não tem nenhuma má-formação ou síndrome.

Fiquei muito feliz e me dei conta de uma coisa.

Ainda que o bebê tivesse deficiências, má-formação que não impedisse a gestação, que fosse menino ou menina, nada disso importa. Quando estamos grávidas a única coisa que importa é que é o nosso bebê e vamos amá-lo do jeito que for, como for. É um sentimento de amor ao próximo, compreensão e cumplicidade muito grande. Eu não consigo explicar, mas é impossível sentir que meu amor seria menor se o bebê fosse diferente do que é, não seria.

Beijão, Dani.

05.11.2013

40 semanas:O Que Mudou na Minha Alimentação

Desde que descobri a gravidez, quando estava com cerca de 5 semanas de gestação, decidi mudar alguns hábitos alimentares para que o bebê crescesse forte e saudável e para que eu não engordasse além do necessário.

Ao contrário do que muitas pessoas dizem, mesmo grávidas, não precisamos dobrar a quantidade de comida, pois não existe “comer por dois”. Se fosse desta forma, haveria vários casos de bebês que nasceriam com, ao menos, metade do peso que a mãe engordou. Nada justifica uma mãe engordar 30kg e o bebê nascer com 4kg, ou seja, esta estória de que devemos comer por 2 é mito!!!

alimentação grávida

Eu sempre comi bastante verdura, legume e frutas e sempre tomei muita água. No entanto, sempre fui viciada em pizza, Mc Donalds, Coca-Cola e Schweppes Citrus. Estas coisas certamente não acrescentariam nada ao bebê e me prejudicariam.

Em primeiro momento já cortei os refrigerantes. Tentei várias vezes comer pizza, mas passei mal e com o Mc Donalds vomitei mais do que qualquer outra vez.

Por um lado foi bom isso acontecer, pois agora tenho medo de comer estas coisas e nem tento ingeri-las.

Apesar de já consumir muitas frutas, legumes e verduras, passei a me alimentar praticamente disso, já que, com tantos enjoos, ficou impossível cozinhar ou comer em restaurante. A comida da minha mãe me salvou e me salva várias vezes na semana e meu marido cozinhou outras tantas, mas eu mesma cozinhei muito pouco, apesar de gostar e me virar bem.

Basicamente, minha alimentação tem sido fruta no café e no lanche da manhã e da tarde, acompanhada de bolacha de água e sal, no almoço e no jantar arroz branco temperado somente com sal e alho e salada de folha verde escura (porque tem ácido fólico e contribui na formação do bebê), batata, filé de peixe e ovo cozido.

alimentação grávida

Também tomo muito suco de caju e açaí com amora, água de coco e Gatorade, vomitei tanto que só o Gatorade funcionou para me hidratar.

Não consegui comer até as 11 semanas feijão de nenhum tipo e acredito que nunca mais vou comer bacon, presunto, Mc Donalds, calabresa e milho verde em conserva na vida! Só de pensar nestas coisas tenho calafrios.

Por outro lado, nunca tinha comido fígado de boi e senti uma vontade enorme, na verdade, acredito que era mais necessidade, pois como não estava comendo feijão, penso que meu corpo estava pedindo ferro. Comi fígado dois dias e até agora não acredito que fiz isso!!! Também deixei de tomar meu querido vinho tinto às sextas-feiras. É por um bem maior!

A cada dia mais percebo que a gestação te causa sensações muito contraditórias. No entanto, já tenho tanto amor por este serzinho que está crescendo dentro de mim que tudo o que for melhor pra ele, vai ser melhor pra mim.

Beijão, Dani.

31.10.2013

40 Semanas: O Que Uso Pra Prevenir Estrias

As estrias são sempre muito temidas, na gravidez então, mais ainda, pois é muito natural que elas apareçam na barriga, coxas e seios em razão do aumento de peso.

Minha mãe, quando grávida de mim e depois da minha irmã, não teve estrias, mas ela não serve de parâmetro, pois em cada gravidez engordou no máximo 9kg e, nas fotos que vi dela grávida, no final da gestação, a barriga era mínina. Não posso ter a ilusão de que comigo vai ser assim.

O Que Uso Pra Prevenir Estrias

Embora eu ainda não tenha engordado (emagreci 3kg), meu quadril, seios e barriga estão maiores. Já troquei o tamanho da calcinha e do sutiã (adorei aumentar o sutiã) e alguns vestidos justinhos que tinha não estão mais bonitos, então estou usando vestidos mais soltinhos, mas nenhum específico para gestantes.

Para evitar as estrias, assim que descobri a gravidez, corri para o mercado e comprei um óleo de amêndoas. Paguei R$ 2,00 e foi a pior coisa que fiz na vida! Nunca usei algo tão “melequento” e enjoativo! O cheiro, para minha fase de enjoos, foi insuportável. Nem o marido gostou e o lençol ficou grudento, mesmo eu tendo esperado o óleo secar. Meu quarto ficou com cheiro de óleo automotivo!

O Que Uso Pra Prevenir Estrias

Encomendei a Emulsão auxiliar para prevenção de estrias da Natura, da linha Mamãe e Bebê e chegou esta semana, antes de chegar estava hidratando a pele com hidratante comum mesmo.

Segundo informações da embalagem, que é linda, a emulsão:

Sua fórmula contém óleo de passiflora, óleo de semente de uva e manteiga de cupuaçu, que formam um filme protetor na pele proporcionando hidratação intensiva por até 24 horas e auxilia a prevenção de estrias. Ideal para gestantes e mães, deixa um toque macio com uma fragrância suave e delicada. É fácil de espalhar e possui rápida absorção.

Eu amei desde a primeira aplicação e não pretendo substituir por outro produto, aliás, pretendo comprar agora a linha toda!

O cheiro é delicioso, leve e nada enjoativo. O preço é de R$ 40,00, em média.

A consistência é boa, espalha bem e não deixa a pele oleosa. A absorção é rápida e estou gostando bastante do efeito. Espero que as estrias não apareçam.

Vi algumas mamães indicando também o MasterSkin, mas como amei a emulsão da Natura não pretendo utilizar outra coisa.

No entanto, é importante reforçar que as emulsões e óleos ajudam na prevenção, mas isso não significa que evitará que as estrias apareçam. O importante mesmo é hidratar bastante a pele, tomar bastante água e, principalmente, se cuidar para não engordar tanto!

E vocês, mamães e gravidinhas, usam o que?

Beijão, Dani.

30.10.2013

40 semanas: Nem Tudo São Flores

Queria ter escrito mais vezes para vocês sobre a gravidez neste primeiro trimestre, mas ultimamente tenho passado tão mal que não conseguia fazer exatamente nada.

Nas últimas semanas minha vida se resumiu a sofrer muitos enjoos, várias sessões de vômito, mal-estar e cansaço.

Com toda a sinceridade, me sentia uma morta-viva inútil! Eu sempre sonhei com toda a beleza da maternidade, sabe aquelas grávidas de início da gestação que estão lindas, sorridentes, saudáveis e bem cuidadas?

Mas meu primeiro trimestre, ou seja, as doze semanas, não foram tão esplêndidas assim, eu mal conseguia pentear o cabelo e vivia cheia de olheiras. Queria ter tirado algumas fotos para vocês verem, mas estou com tanta olheira e vontade zero de aplicar corretivo.

Escovar os dentes foi impossível durante três semanas e fiquei muito preocupada, pois uso aparelho ortodôntico, mas não conseguia usar nenhum tipo de escova ou creme dental, troquei ambos 4 vezes e nada de melhorar. A única alternativa foi usar fio dental após todas as refeições e enxaguante bucal, e, mesmo assim tinha muita ânsia, quando não vomitava.

gravida-nausea-vomito-20110824-size-598

Antes de engravidar eu pesava 72kg, e, passados os 3 primeiros meses emagreci 3kg.

Eu não sabia, na verdade, não imaginava que as coisas aconteciam nessa proporção, mas, no início da gravidez, é muito comum nos sentirmos tão mal assim.

Um jeito fácil para quem nunca passou por uma gravidez entender essa situação é imaginar que somos um “ring” de luta. Isso mesmo, um “ring”.

O bebê, que ainda é um feto, está lutando para se fixar no útero e crescer forte e saudável, por outro lado, nosso corpo está lutando para que o feto, considerado um “corpo estranho” seja expulso de dentro de nós. O que mantém o feto dentro de nós e o protege dessa luta com nosso corpo é o hormônio progesterona. Desta forma, resumidamente, nosso corpo luta para expulsar o feto e o feto luta para ficar, com ajuda da progesterona.

É muito natural nos sentirmos da forma que tenho me sentido, alguma mulheres vomitam tanto que precisam ser hospitalizadas, que bom que não foi o meu caso.

Dizem que ao final da 12ª semana tudo melhora, mas vi relatos de mulheres que passam a gravidez toda assim. Espero que não seja o meu caso.

Queria dividir também isto com vocês, pois tenho certeza que muitas gravidinhas estão passando por isso e assim como eu sentem-se fracas e inúteis.

Chorei muito com essa situação, chorei de tristeza, pois a sensação de impotência é enorme, mas, eu escolhi ser mãe, escolhi gerar, não foi uma imposição social ou pressão familiar, foi uma escolha pessoal, assim como quem escolhe não ter filhos, eu escolhi ter. Mas, passando por toda essa situação, senti-me como se não fosse capaz de ser mãe. Os hormônios também não contribuem. Ficamos mais sensíveis e ao passo que sinto esta incapacidade, também me sinto capaz de passar por tudo isso. Sou capaz, somos!

Felizmente, estou terminando a 12ª semana e agora me sinto mais forte!

Vou contando tudo em outros posts para não ficar tão extenso.

Beijão, Dani.

Página 3 de 41234
O que você acha do JV?
Antes de conhecer o JV eu não sabia que existiam máscaras com fins diferenciados ... Pra mim "hidratação" era uma coisa só .. Hj entendo…