28.07.2017

Vamos Falar Sobre o Rodrigo Hilbert

Faz tempo que as redes sociais “falam” sobre Rodrigo Hilbert, e já vi textos engraçadíssimos pedindo pra alguém dar um freio no moço, que estava levando a coisa a patamares inalcançáveis.

Mas o que o Rodrigo faz de tão diferente pra chamar tanta atenção?

Hummm, vejamos… Além da genética abençoada (Deus benzaaa hahaha), ele é bem sucedido, famoso, cozinha muito bem, lava, passa, faz ioga, casa de madeira, chapa para churrasqueira e crochê, é “pau pra toda obra”, gente boa, se diverte com a molecada, cuida da avó, é espiritualizado, se preocupa com a natureza, é bom pai, bom marido, boa pessoa.

Alguém viu algum feito extraordinário aí? Eu não.

Me parece muito óbvio que quem suja tem que limpar. Que quem bagunçou tem que arrumar. Que quem quer comer deve cozinhar. Que a roupa que você sujou, você deve lavar, passar, guardar. Que cuidar de si e de suas coisas é o básico do básico.

rodrigo hilbert

Que ter um filho vem com o pacote cuidar, educar, criar, amar. Que ter uma pessoa ao lado é uma parceria, onde os dois compartilham a vida e o dia a dia de forma igual. Que ser amigo de seus amigos e cuidar dos que você ama quando eles precisam é o natural.

Que é bom saber se virar, aprender coisas diferentes e não precisar gritar por socorro até pra bater um prego. Que se preocupar com a preservação da natureza é uma necessidade indiscutível, porque é o mundo em que você vive, e pra viver você depende, evidentemente, dele. Que ser solidário e estender as mãos para quem precisa, quando você pode fazer, é pressuposto básico de humanidade, e não motivo para palmas e confetes.

E isso, gente, vale pra todo mundo, pra homem e pra mulher.

Só que na “vida real” não é o que acontece, né? A “regra” é que a mulher seja cozinheira, faxineira, governanta, costureira, babá e mãe dos filhos e do marido/namorado. Porque isso, dizem, “é coisa de mulher”.

Mas não é, é coisa de gente, e fazer cada uma dessas coisas é obrigação de todos.

Isso não significa que você não possa fazer nada pelo outro, que tudo tem que ser calculado. Não, tudo deve acontecer muito naturalmente, você pode fazer o que quiser, mas como opção e não porque é sua “obrigação como mulher”.

Não é sua obrigação carregar o peso de “criar” marido/namorado, como se ele fosse um incapaz. Ele é gente, assim como você, é plenamente capaz, e tem que agir como tal, ué.

E isso vale pra você também, tá? Não existe isso de “coisa de homem”, e quanto mais habilidades você tiver, quanto mais coisas você souber fazer, melhor pra você.

Então, sim, Rodrigo Hilbert parece ser um cara bem legal e cheio de habilidades, um desses que, não deveria, mas ainda é raridade hoje em dia. Só que ele não eleva o patamar, ele faz o que os outros deveriam fazer.

Não é que ele seja “demais”. É que a imensa maioria ainda se comporta como se “de menos” fosse o bastante, simples assim.

Beijos, Ju♥

Quer mais dicas como essa? Vamos papear nas redes sociais⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

03.07.2017

Quando Tudo Não É O Bastante…

O post de hoje não era sobre quando tudo não é o bastante. Mas, quando sentei para escrever olhei o calendário aqui do lado e percebi que a primeira parte do ano passou. E passou “voando”.

Parei pra pensar no que tinha feito nos últimos 6 meses e imediatamente lembrei de um texto que li no Facebook sobre desejos e necessidades. Não sei se a autoria é real,  se Marco Aurélio Lobo existe e é um psicanalista lá de Anápolis, mas cada vez mais vejo que, como ele disso,  “supervalorizamos nossas necessidades e desrespeitamos nossos desejos”.

E isso mata. Mata nossa alegria de viver,  os sorrisos, as gargalhadas, a espontaneidade. Dizima os nossos sonhos, silencia nossa voz, apaga o nosso brilho, devasta a nossa alma e destroça o que dá de mais sagrado em nós: a força da vida.

quando tudo não é o bastante

Os desejos a que me refiro não são materiais. Não estou falando de bens de consumo. Estou falando dos desejos da alma. De amores, de paixões, de amizades, de realizações, de vida. De tudo aquilo que nos faz sentir vivas, que faz o coração vibrar.

Porque não faz sentido ter amigos que não são amigos, só pra fingir que não está só. Manter relacionamentos, de qualquer tipo, por comodismo, porque “precisa” ter alguém, porque esperam que você tenha alguém. Porque você precisa casar.

Não dá pra passar a vida trabalhando com o que você não quer, fazer todos os dias o que não te faz feliz e contar os segundos para que chegue o final de semana para que você possa, enfim, respirar.

Todo mundo precisa trabalhar e os boletos não param de chegar, eu sei. Mas se você não está onde deseja, não se conforme, faça o que é preciso fazer para, lá na frente, poder fazer o que você realmente quer fazer.

“Tudo” pode ser muito pouco…

A vida é uma só. Viva. Mas viva, primeiro, pra você. Você não precisa seguir script, não precisa fazer o que os outros querem e esperam para ser aceita. Assim como não precisa matar os seus desejos e sufocar quem você é e o que você quer para ser aprovada.

E não deveria, definitivamente, sacrificar a si mesma apenas para manter o que acha que precisa, mas que não te faz feliz.

Não é sobre ter tudo o que a gente quer. É sobre não ter nada do que a gente deseja. É sobre abafar cada sonho, cada querer, cada vontade com uma suposta necessidade, tentar agradar a gregos e troianos, ter, aparentemente, tudo, e ser imensamente infeliz.

Ter tudo não é o bastante, nunca foi. Mas, olhar para dentro, dar ouvidos aos anseios da sua alma, não ceder aos desejos e expectativas alheias, tomar as rédeas da sua vida e vivê-la a sua maneira pode ser um caminho.

Um caminho pra si mesma, pra vida que, aí dentro, você deseja ter. Pra pessoa que você deseja ser. Ainda dá tempo, você só precisa não se contentar em apenas existir e começar a, realmente, viver.

Beijos, Ju♥

12.04.2017

Ansiedade: O Que Tem Funcionado Comigo

Essa semana perguntei lá no nosso grupo do Facebook quais assuntos vocês queriam  que eu falasse nos textos de “comportamento”, e  ansiedade foi, disparado, o tema mais citado. Como é algo que conheço bemmmm, infelizmente, mas que tenho conseguido lidar numa boa, fiz uma vídeo ao vivo lá ontem e resolvi sintetizar tudo em um post hoje.

Adoro, aliás, fazer vídeos ao vivo lá no Facebook porque existe uma troca muito boa, a gente conversa, se conhece, se ajuda, fica mais próxima sabe? Ontem a Velox não ajudou muito e acabei fazendo 2 vídeos, pra quem quiser conferir é só clicar aqui e aqui que já vai certinho para os vídeos.

E, claro, tudo que vou falar aqui é a minha experiência, não é a opinião de um profissional (porque eu não sou psicóloga nem nada do tipo), eu sou só uma menina que lida com isso há muitos anos.

ansiedade

Ansiedade: Conheçam a “Gertrudes”

Passei a vida repetindo que era ansiosa, muito, e tive crises fortes de ansiedade em vários momentos, e só quem passa por isso, quem sente, na pele e na alma, sabe como é ruim, sufocante e limitante. Tive fobia social, fiz anos de terapia e hoje sei exatamente quais são os meus gatilhos, como evitá-los, como lidar com tudo isso e, principalmente, parei de repetir que sou ansiosa, porque a ansiedade não é o que ou quem eu sou, ela é só uma parte, hoje bem pequena, da imensidão de coisas que formam essa pessoinha aqui.

E sim, trato a ansiedade como uma “pessoa”, Gertrudes, e quando ela começa a pairar ao meu redor já aviso logo que “aqui não” e começo a fazer tudo o que aprendi ao longo de todos esses anos pra mandá-la para bem longe.

A terapia me ajudou muito durante todo esse processo, mas no sentido de compreender quem eu sou e, com isso, conseguir lidar com situações que me deixavam ansiosa. Mas, foi olhando pra dentro e me conhecendo, me aceitando, me amando e aprendendo a lidar com meus medos que consegui reduzir, e muito, “Gertrudes”. rs

Como Controlar a Ansiedade

Cada caso é um caso, claro, e só posso falar do que funciona comigo, e de tudo o que já fiz o que funcionou e/ou vem funcionando é isso, ó:

Descubra o gatilho

O primeiro passo foi descobrir quais eram os meus gatilhos, o que me deixava ansiosa, e pra isso fazer um pequeno diário com horários é uma ótima ideia. Aí é só anotar os horários do dia em que você fica mais ansiosa, o local onde você está, com quais pessoas, em qual situação. Em pouco tempo a gente consegue identificar o que (ou quem) desencadeia o problema.

O meu gatilho são lugares e pessoas que eu, por algum motivo, não gosto, e aí vamos pro segundo ponto.

Evite pessoas e ambientes que não te façam bem

Sei que nem sempre a gente pode fazer esse tipo de escolha, porque em muitas casos a gente não tem escolha, e eu já passei por isso, mas hoje evito ao máximo estar perto de pessoas que eu não gosto, que não gostam de mim ou de ambientes onde não me sinta bem, sabe?

Até consigo lidar com isso, se for necessário, mas é uma escolha que fiz na vida, de não ter por perto quem não me faça bem, e pra mim, que tive fobia social, isso é fundamental. E conheço muitos casos em que a ansiedade era causada por um lugar e/ou uma pessoa ou um grupo de pessoas, e quando o gatilho foi eliminado, a ansiedade foi reduzida.

ansiedade

Converse, converse, converse!

Falar é terapêutico, e a gente precisa, de algum jeito, colocar pra fora, sabe? Essa é uma parte mais difícil pra mim, porque sempre “guardo” tudo, não confio facilmente e só exponho algo quando me sinto segura com a pessoa que está ouvindo, mas todas as vezes em que consegui me abrir senti um alívio muito grande.

E escrever também me ajuda demais. Quanto mais eu escrevo, melhor me sinto, e nisso o blog é muito importante. Blogar, aliás, me salvou de muitas formas.

Faça atividade física

Eis outra coisa que farei mais a partir desse mês, porque ajuda demais na ansiedade, sobretudo quando é alguma atividade ao ar livre, como andar, correr, nadar ou pedalar, por exemplo, porque consigo “respirar” melhor, sabe? Dançar também me dá um alívio grande, é uma catarse, me acalma.

Mas, não importa qual seja a atividade física, o que importa é fazer alguma que você goste, e fazer sempre.

Cuide de você

Essa agonia do dia a dia, onde a gente não tem tempo pra nada e vive correndo, só piora a ansiedade, por isso acho essencial tirar, todos os dias, um tempo pra cuidar de mim. Gosto muito de reiki, que me acalma, assim como gosto de meditação, de parar um pouquinho pra respirar profundamente várias vezes, de usar um óleo essencial, colocar uns incensos e por aí vai.

Tomar um chazinho de erva-cidreira ou capim-santo, lendo um livro cheio de mensagens boas também me faz um bem enorme, me dá serenidade. E nunca fico sem óleo essencial de lavanda, e todas as vezes em que “Gertrudes” começa a dar as caras, aplico umas gotinhas nas têmporas e no pulso, e isso já muda meu foco, me coloca em uma “vibração” diferente, sabe?

Florais para ansiedade

Amo florais, já falei disso aqui várias vezes, e uso sempre. Tenho o Rescue (concentrado) para as emergências, e uma fórmula específica para ansiedade, que uso faz tempo. Se vocês quiserem posso disponibilizar aqui pra vocês, é só avisar nos comentários. Mas, o ideal é que um terapeuta floral te indique, tá?

Coaching e Programação Neurolinguística

Comecei tem pouco tempo, mas o processo de coaching e o PNL têm me ajudado muito na ansiedade, e esse nem era o foco, na verdade. A gente trabalha várias coisas nas sessões, que acontecem por Skype, já que ela não é daqui de Jee, e eu tenho conseguido performar melhor, entender o que realmente quero e o que preciso fazer (ou não) para conseguir atingir as minhas metas, e ver resultados rápidos em relação a tudo isso me deixa muito menos ansiosa no dia a dia.

ansiedade

Tem me ajudado demais e é uma coisa que tem muito a ver comigo, que sou prática e prefiro trabalhar o que quero mudar e realmente mudar que ficar voltando pra raiz do problema, sabe?

Pra quem tiver interesse, faço com a Renata Rocha, e tem mais informações sobre como funciona no blog dela (veja aqui).

Remédio Para Ansiedade

Já tomei remédios para ansiedade, inclusive o Ansitec, que fiz post por aqui, mas a longo prazo não achei os resultados bons, porque não resolvia o problema. Contudo, não dá pra negar que nos momentos mais críticos eles foram essenciais, mas hoje não uso e não sinto falta.

E vocês, já passaram por isso? Como conseguem lidar, trabalhar a ansiedade? Dividam com a gente, é muito bom ter contato com a experiência de quem já passou por isso e saber que não estamos sozinhas.

Beijos, Ju ♥

Quer mais dicas como essa? Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

20.03.2017

Quando As Mudanças Não Acontecem…

A imensa maioria das pessoas que conheço, inclusive eu, clamam por mudanças nos mais diversos níveis, mas não são raras as vezes em que essas mudanças não acontecem, em que tudo permanece exatamente o mesmo e a gente continua com os mesmos desejos e frustrações, sem saber como e por onde começar.

A verdade é que, na teoria, nós sabemos que precisamos mudar, ou o que fazer para que as coisas mudem. Mas, somos criaturas de hábitos, nos acomodamos com o que estamos acostumados, mesmo que aquilo não seja bom, não seja o que queremos, não nos leve para o caminho desejado.

Mudanças? Sim, mas nem tanto… Né?

Na teoria e superficialmente, nós queremos a mudança. Mas quando ela envolve revirar a nossa rotina e alterar hábitos lapidados durante uma vida inteira quase sempre damos um passinho pra trás e nos escondemos atrás de tudo aquilo que nos faz sentir seguros.

Mas segurança, nesse caso, é bloqueio, é estagnação, é mais do mesmo.

Quando As Mudanças Não Acontecem...

Porque só existem dois caminhos: ou você segue em frente e pega a estrada desconhecida, irregular e, quem sabe, assustadora rumo a vida que você quer ter e a pessoa que você quer ser, ou você permanece na viela conhecida, que não é o que você quer, mas é “confortável”, é conhecida, e, se tem perigos, são aqueles com os quais você já sabe lidar.

Pra quê correr riscos, não é mesmo? Pra quê começar tudo de novo, dando um salto no desconhecido, podendo se machucar, perder tantas das coisas que a gente valoriza e até, quem sabe,  nos perder de nós mesmos? Isso, com certeza, vai doer. E dores novas sempre doem mais.

Melhor, então, continuar no aconchego do que é conhecido. É tão mais fácil, né? É. Por um tempo. Para alguns por uma vida inteira, quem sabe. Mas pra mim não, não mais.

As mudanças não acontecem porque não estamos dispostas a, diariamente, pagar o preço.

Eu fiz isso por muito tempo, até que me dei conta de que aquilo era uma forma silenciosa de desistir de mim. E eu não posso fazer isso, não mais, não dá.

Se quero que alguma coisa mude, qualquer coisa, isso tem que começar em mim, porque a mudança, como bem disse Terry Neil, “é uma porta que só pode ser aberta por dentro”.

Uma porta que a gente precisa abrir com força, mas cujo caminho se caminha lentamente, porque as mudanças só acontecem quando mudamos nossos hábitos diários, aqueles que, sem que a gente perceba, constroem (ou destroem) as nossas vidas e moldam o nosso destino.

Portanto, se a mudança não está acontecendo é porque não estamos fazendo, todos os dias, o que é preciso fazer. Não é o destino, não é a vida, não é Deus e não são os outros. É você.

Hoje decidi encarar mais uma mudança, uma daquelas que já tentei milhões de vezes. E falhei. E não posso, humana que sou, garantir que não vou falhar novamente, mas prometo que, todos os dias, vou dar o melhor de mim. Até o fim.

Daqui  há alguns dias, quando tudo estiver mais organizado, a gente conversa sobre isso, tá? E fiquem tranquilas que é mais uma coisa que, muito além de compartilhar, vou viver com vocês.

E, juntas, vamos fazer a mudança acontecer.

Ah, e pra ver mais textos como esse é só clicar em Comportamento e  em Mulher de 30.

Beijos, Ju♥

Quer mais dicas como essa? Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

Página 2 de 4812345
O que você acha do JV?
Amo as dicas, resenhas...enfim, tudo aqui no JV é um serviço público e de grátis rsrs , sigo as dicas da Ju e até hoje…
As leitoras mais incríveis da vida
  • Conhecem o blog de minha amiga, @jurovalendo ? Passem lá... Escrevi algo legal... @isadorabacelar.r #amizade #jurovalendo #julopes #amor #meueuloiro #fidelidade #gastronomia #amando #mudanca #salvador #unifacs
  • Mudar de profissão nunca é fácil, bem sei como é difícil lidar com as dúvidas, as angústias e, também, com o julgamento alheio.

Mas acredito, também, que fazer algo que a gente ama não tem preço. Que alegria, felicidade e realização não têm preço.

A @isadorabacelar.r também acha, encarou a mudança e contou tudo pra vocês lá no blog. 💕
#MulherDe30 #MudeiDeVida #JuroValendo
  • Esse deveria ser o jeito certo de dar “valor” às pessoas! Não devíamos dar tanta importância ao quanto de dinheiro fulano tem, ou o status social de sicrano, mas sim como eles tratam as outras pessoas! Bom sábado pra nós! #blogbellealmeida #empathy #empatia
Quer ver a sua foto publicada aqui no blog?
Poste no instagram uma foto com a hashtag
#JuroValendo