28.02.2014

Reposição de Cortisol: Eu Faço!

Vocês lembram que ano passado eu passei uma fase “no hospital”, adoecendo o tempo todo e sem disposição pra nada? Então, expliquei nesse post aqui que meu organismo tava dando “pane”, e comentei por alto que minha adrenal havia entrado em falência e que eu tinha o que se chama “Fadiga Adrenal Crônica“, lembram?

Depois disso fiquei querendo escrever um post sobre o assunto, pra servir de alerta mesmo, mas fiquei pensando que é chato falar de doença, sabe? Só que umas duas semanas atrás uma seguidora, que é minha amiga, a Aninha, me disse que tinha feito uns exames, que o cortisol tava baixíssimo e que levaria pra médica, e daí achei que era uma boa hora pra fazer um post sobre o assunto.

Eu sempre fui hiperativa, do tipo que faz milhões de coisas ao mesmo tempo, que sempre tá “de boa”, animada e que não sabia o que era “cansaço”. Sabe gente que chega em casa 6 da matina e às 7 já tá pronta e animada pra um dia inteiro? Era eu!

cortisol, fadiga adrenal crônica

Só que de uma hora pra outra comecei a dormir mal,  a ficar irritada, apática, a sentir dor no corpo o tempo todo, a me desconcentrar e a sentir um cansaço absurdo, daqueles que a gente não consegue fazer nada. A sensação era a seguinte: minha mente continuava funcionando com uma mega velocidade, como sempre foi, mas o corpo não respondia, e isso tava me deixando completamente desorientada.

Achei que a falta de sono era a causa disso tudo (falei sobre isso aqui), daí fui em dois médicos, que já conheciam minha “velocidade” e eles pediram os exames “básicos”, aqueles que todos pedem, e o diagnóstico foi o mesmo: “você está estressada, você trabalha demais, você precisa desligar um pouco” .

Minha mãe achava a mesma coisa, e eu acabei achando que era isso mesmo. Acontece que precisava emagrecer, e por isso procurei um nutrólogo (Dr. Tasso, e indico pra todo mundo!), que me pediu exames que eu nunca havia feito, e dentre as várias alterações, estava o nível muito baixo do cortisol. E não era só isso, porque meu GH tava no “chão”, meus níveis de vitamina D estavam baixíssimos (direta ou indiretamente, a vitamina D controla cerca de 200 genes no organismo), foi detectada a tal da resistência a insulina e várias outras coisas.

A partir daí comecei a suplementar  o “diacho a quatro”, inclusive o cortisol (hidrocortisona), que tomo logo que acordo e após o almoço, e algumas outras coisas, como a melatonina (não é comercializada no Brasil, um absurdo!), a progesterona e por aí vai.

cortisol

É chato ter que tomar vários remédios por dia? É sim, e eu demorei pra conseguir ter disciplina, porque sempre esquecia, mas isso não é nada, né gente? É só remédio, é só um problema, não precisa fazer drama.

O que eu posso dizer é que depois disso tudo mudou, e foi como se tivessem tirado um “véu” dos meus olhos, sabe? Voltei a ter energia pra produzir, parei de adoecer todos os dias, minha irritabilidade reduziu bruscamente, não fiquei mais apática, durmo bem e quase sempre acordo animada (em dias de TPM não dá, né?).

Não tive nenhum efeito colateral, exceto a maior retenção de líquidos, mas diante do que sentia antes isso é o mínimo.

Depois disso li vários relatos de pessoas que passaram anos de médico em médico, se entupindo de remédios, simplesmente porque não foram diagnosticadas corretamente, e isso me assustou um pouco, porque são tantos os exames possíveis, então não custa investigar.

Enfim, foi só mesmo pra alertar, porque infelizmente não dá pra aceitar o “primeiro diagnóstico”, já que hoje tudo é “estresse”.  É  preciso investigar as coisas com cuidado,  porque em muitos casos o tratamento é simples, o difícil mesmo é que se chegue a causa real do problema!

Beijos

Ju

* Este ou qualquer outro medicamento/hormônio só deve ser consumido  com indicação e acompanhamento médico.

O que você acha do JV?
Eu acho esse blog maravilhoso. A Ju fala de tudo com muita emoção, muito carinho e ao mesmo tempo muita verdade, muita seriedade. Isso é…