Vizcaya
09.06.2013

A Difícil Arte da Convivência

Convivência, desculpem o peso da palavra, é foda. Convivência é o que, na grande maioria das vezes, acaba com as relações, e não poderia ser diferente, afinal, se pessoas que fazem parte da mesma família, que tiveram a mesma criação, as mesmas oportunidades e experiências similares não conseguem conviver sem discordâncias, como é que dois estranhos vão conviver todos os dias sem discordar? É querer o impossível!

Juro Valendo

Sim, você pode amar o Maurício, o Joaquim ou o João, mas quando você chega em casa de TPM, após horas perdidas no trânsito, depois de um dia exaustivo de trabalho, e escuta, em tom de acusação,  um “mas não tem nada pra jantar?” , o que você quer é esganá-lo! E quando, tentando se controlar, você diz que não teve tempo e pergunta porque o “outro” não fez nada, e ele responde, com ar de quem acha a pergunta um absurdo, que isso é coisa de mulher, você começa a questionar como, afinal, é possível conviver com um ser desse.

conviver relacionamento

E não é só o jantar… É a tampa do vaso que ele não abaixa, é a toalha molhada na cama, é a pia do banheiro imunda, é a briga pelo controle remoto,  é a bagunça na casa toda, é ele achar que tudo é obrigação sua, porque, afinal, você é mulher… E é mais… São os amigos insuportáveis que ele tem, a mania de criticar, o apoio que ele dá a quem não deveria, o fato de parecer não “te escutar”, não te entender e, sobretudo, de nunca pedir desculpas. É tudo isso e muito mais.

convivência

Mas, o que fazer diante desse “muito mais”? Uma escolha… Você vai ter que escolher se  quer ou não conviver com essa pessoa, e antes que “parta pra outra”, aviso logo: a mudança será só de endereço, porque, em maior ou menor grau, todo mundo vai discordar sempre, e não tem como ser diferente.

relacionamento

Pra conviver você precisa saber exatamente o que esperar do outro, e aceitá-lo como ele é, caso contrário a convivência se tornará um caos e, pouco a pouco, a relação acaba indo pelo ralo. Falando em “saber o que esperar do outro”, é muito importante que esse “outro” saiba exatamente o que esperar de você, e pra isso você precisa mostrar realmente quem é, porque aí ninguém vai poder jogar nada “na cara” de ninguém.

É claro que, pra conviver, precisamos fazer concessões, entrar em “acordos”, e isso exige maturidade, já que ninguém quer “dar o braço a torcer”. Mas, sem esse jogo de cintura não há relacionamento que funcione!

 como conviver

Eu, por exemplo, tenho um acordo ótimo com namô, um acordo que, com certeza, já evitou muitas brigas. Eu sou leonina, “avoada” e bagunceira. Ele é virginiano, detalhista, metódico e organizado. A convivência desses seres opostos só é possível da seguinte forma: eu não posso me irritar com a obsessão dele em arrumar as minhas bagunças (isso é TOC, só pode!), e ele não pode se irritar com a minha desorganização. Além disso, sempre que vou pra casa dele fico proibida de entrar na cozinha por questões, segundo ele, de segurança, já que, da primeira vez, tinha massa de bolo no teto, formiga por todo lado e o fogão quase pegou fogo.

É dizer, pra conviver, você precisa conhecer e aceitar as limitações do outro, e vocês precisam entrar em um “acordo”, senão não tem como fazer a coisa funcionar!

Beijos

Ju

Vizcaya
Escreva seu comentário

* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça no comentário? Clique aqui.
7 comentários
  1. Carlinha  09/06/2013 - 14h51

    Disse tudo Ju!
    Me casei com meu nanmorado de 7 anos e realmente tem momentos que da vontade de chutar o balde, pq alem de todas essas coisas que vc citou nos mulheres querendo ou não somos o alicerce do nosso companheiro, entao, nao é tao facil assim, pois dependendo do que falamos ou fazemos ferimos o outro…
    Tenho muito que reclamar por causa desses detahes de roupa na cama, sapato na sala e tal mas depois de um tempo e muito falar e ate ficar calada finalmente nao faco tudo sozinha, ele me ajuda com a casa, almoco e nao escuto mais esse historia de que eu sou mulher e tenho que fazer tudo…
    Estou muito feliz, pois msm com os defeitos masculinos ele é uma pessoa ma-ra-vi-lho-sa!

    • Ju Lopes  10/06/2013 - 11h27

      Carlinha, convivência é MUITO difícil, mas ainda bem que está tudo certo e ele está te tratando bem, senão, ai ai , caia no tapa! rs

  2. Karen  10/06/2013 - 13h32

    Nossa! Super me identifiquei com o texto! Haha… Vaso sanitário, pia, controle remoto, bagunça, TUDO! A parte de não pedir desculpa ainda é a pior! Mas como uma pessoa vai se desculpar se para ela ela não fez nada de errado?
    E é ai que mora o problema!

    • Ju Lopes  10/06/2013 - 13h49

      Isso mesmo! Eles NUNCA acham que estão errados!

  3. vanessa  05/12/2013 - 21h34

    Bah……………………………… (trilhões de desabafos sobre este tema nesta pequena palavrinha!) rsrsrs

    • Ju Lopes  05/12/2013 - 22h07

      rsrsr É difícil, né Nessa? É das coisas mais difíceis da vida!

  4. Lidy Pinheiro  23/01/2019 - 21h22

    Deus me livre conviver com uma pessoa assim Ju. Ninguem merece, o melhor da convivência é compartilhar tudo e respeitar o espaço do outro. Respeito sempre.

O que você acha do JV?
Ju, amo seu blog!!! suas dicas!!! vc é maravilhosa com sua opinião honesta!!! Sempre quando quero comprar algum produto venho aqui pra ver o que…