Vizcaya
30.09.2019

Plantas para Banheiro: Quais Usar?

Faz tempo que vocês me pedem um post sobre plantas para banheiro, acho que desde que cismei de colocar uma tuia enorme no meu, e hoje a coisa saiu!

Já adianto que tirei minha tuia do banheiro apenas porque em pouco tempo teria que tirar dali, já que ela cresce muito.

E também porque, mesmo meu box sendo grande (sim, ela estava no box!), fiquei com receio de que caíssem resquícios de sabonete ou produtos de cabelo nela, sabe?

No caso desse banheiro, que é o do meu quarto, a tuia viveria bem, por incrível que pareça.

plantas para banheiro

É que ele é voltado pro nascer do sol, pega sol o dia todo e tem uma janela de vidro, que também fica aberta até a noite, de um lado a outro do box.

No mais, aqui é bastante quente, não tem essa coisa de muita umidade. E nesse banheiro tem bastante luminosidade e sol direto.

Mas, vamos por partes. E já adianto que vou precisar de mais de um post pra falar tudo, porque um será específico com as melhores plantas para banheiros de acordo com cada guá do feng shui, tá?

Como escolher plantas para banheiro

A primeira coisa a ser analisada é o seu banheiro. Ele é claro, pega bastante luminosidade durante o dia ou não?

Ele tem janela? A janela é mais baixa ou mais alta? Ela fica aberta durante o dia?

Seu banheiro tem muita umidade? Venta muito?

Depois disso, vamos analisar o clima de sua cidade. Aí é mais quente ou mais frio? Mais seco ou mais úmido?

Tudo isso importa e faz diferença porque cada planta possui necessidades diferentes e de adaptam melhor a determinado clima, luz, quantidade de rega e por aí vai.

plantas para banheiros com muita e pouca luz
Funcionam bem com muita e com pouca luminosidade

Tipos de plantas

Depois de analisar seu banheiro e o clima da sua cidade, vamos pensar nos tipos de plantas mais adequadas pra você e pro seu ambiente.

Existem plantas de sombra, meia sombra, luz difusa, sol pleno… Existem plantas grandes, pra espaços maiores, que só funcionariam em banheiros muito grandes, bem como as médias e pequenas.

Não podemos esquecer dos seus hábitos, porque se é uma planta que requer regas frequentes e você esquece ou vive viajando, por exemplo, ela não vai funcionar no seu banheiro, mesmo que o ambiente seja favorável.

Como escolher a planta certa?

Além de observar direitinho o seu banheiro e as necessidades de cada planta, lembrando sempre que existem plantas que se adaptam as mais diversas condições e que o cuidado é essencial, tem algumas coisinhas que levo em conta.

Banheiros são ambientes de natureza yin, com excesso de elemento água e gosto de equilíbrio.

Por isso, evito plantas em vasos de água no banheiro, bem como plantas pendentes (que são yin). Mesmo assim deixo como opção a peperômia, por exemplo, porque ela pode ser podada e não ficar tão pendente, sabe?

A mini samambaia havaiana é outro exemplo.

banheiros com pouca luz
Essas são ideais para banheiros que não têm tanta luminosidade

Também evito orquídeas, que amo, porque a imensa maioria não “vive” em vasos com terra, e pra banheiros eu prefiro vasos com terra pra estabilizar o excesso de elemento água.

Plantas para banheiro com pouca luz

Esse é o caso do banheiro social aqui de casa, cuja janela é pequena, está voltada para o sul e não recebe tanta luminosidade durante o dia.

Pra esse tipo de banheiro as plantas que funcionam melhor são o lírio da paz, espada de São Jorge, zamioculca, aloe vera (a boa e velha babosa), comigo ninguém pode, clorofito, pau d´àgua, alocasia, pacová , caládio, planta dos beija-flores ( também conhecida como planta-zebra e afelandra), mini samambaia havaiana, asplênio, kalanchoe, peperômia, dentre outras.

Muitas dessas plantas se desenvolvem bem tanto em ambientes com pouca quanto com mais luz, mas vou dar uma resumida aqui.

Quando a luminosidade realmente é mais baixa, opte pelo lírio da paz, espada de são jorge, comigo ninguém pode, zamioculca, aloe vera, clorofito, mini samambaia havaiana, pacová e peperômia.

Aí é preciso pesquisar se ela gosta de mais ou de menos umidade, calor, vento e ir adaptando ao seu ambiente, vendo em qual lugar ela se desenvolve melhor.

E, claro, não pode esquecer de trocar a terra, adubar e outras coisinhas que falarei em outro post.

plantas para banheiros com pouca luz
Essas também se dão bem com um grau menor de luminosidade

Plantas para banheiro com mais luminosidade

Vale lembrar que mesmo que o banheiro tenha bastante luminosidade, devemos optar por plantas de interiores, já que plantas de sol pleno, por exemplo, tendem a não aguentar muito tempo nesse ambiente.

Antúrio, copo de leite, calla, begônia maculata, pau d´água, espada de são Jorge, comigo ninguém pode, orquídeas (não deixo perto da janela e evito mas é uma opção), costela de adão (gosta de luminosidade e umidade), clorofito (se dá bem com alta e com baixa luminosidade), palmeira Rafis e pleomele.

Pra quem gosta de flores, sugiro as petúnias, desde que perto da janela, assim como o beijo de frade ( impatiens balsamina), que tem de todas as cores e segura bem em banheiros com pouca luminosidade (mas não floresce tanto) ou com muita luminosidade (explode em flores!)

plantas banheiros iluminados
Essas gostam de mais luminosidade. E luminosidade é diferente de exposição solar, ok?

Claro que existem outras, mas essas testei, gostei e consegui lembrar agora.

Mas fiquem tranquilas que virão outros posts como esses e mais opções de flores, tá?

Agora me digam aí: quais plantinhas vocês têm no banheiro de vocês?

Se quiser ver mais posts do Ju De Casa é só clicar aqui!

Beijos, Ju♥

Bora papear mais? Me segue lá no Instagram ⇒ @jurovalendo

Vizcaya
30.09.2019

Resenha FOREO LUNA 3

nova escova de limpeza facial

Já viram que o FOREO LUNA 3 acabou de chegar ao Brasil? Comecei a testar essa nova escova e massageador facial 2 em 1 antes de chegar às lojas, pra ter mais tempo de analisar todas as características dele e fazer um comparativo pra vocês.

E já começo dizendo que ele está ainda mais completo que a versão anterior, o FOREO LUNA 2, que resenhei aqui.

Verdadeira febre no mundo todo, FOREO é uma marca sueca número 1 em pesquisa e desenvolvimento de dispositivos de beleza e especialista em escova de limpeza facial com pulsações transdérmicas. 

FOREO LUNA 3

E essas pulsações têm poder, viu? É que elas conseguem atingir as camadas inferiores da pele, entregando uma limpeza de pele profunda.

E o melhor é que, ainda que profunda, é uma limpeza delicada que limpa sem agredir ou causar qualquer tipo de desconforto.

LUNA 3 x LUNA 2: Comparações

Vinha usando o LUNA 2 há bastante tempo e bem sei o quanto ele me ajudou, sobretudo na melhora da acne adulta, coisa que falei nesse post aqui.

Por isso, antes de começar a usar o FOREO LUNA 3 dei uma pausa no uso do LUNA 2 pra conseguir fazer comparações mais consistentes.

filamentos

Mas, vamos começar pelas diferenças e melhorias entre as duas.

Inicialmente percebi que o formato do LUNA 3 é mais anatômico, além da escova facial e a superfície da massagem facial ser maior que o LUNA 2, com uma superfície de limpeza também maior.

Os filamentos ocupam 30% a mais de espaço que a versão anterior e também são mais longos. Isso faz com que ele seja ainda mais suave ao toque, além de ajudar a reter mais água no momento da limpeza de pele profunda.

Ou seja, a limpeza facial é ainda mais delicada e rápida.

Conta com um único botão, que é universal, já que todos os ajustes são feitos através do aplicativo e 16 variações de velocidade. 

função massagem

No LUNA 2 eram 12 variações e 2 botões de controle de intensidade, que eram feitas no próprio aparelho.

Achei bem legal essa conectividade com o celular porque tem várias configurações personalizadas e opções completinhas de massagem facial. Amo!

Ah, ponto importante: também é mais leve e a carga dura até 2 vezes mais.

As versões do LUNA 3

Meu LUNA 2 era rosinha, indicada para peles normais, mesmo a minha sendo oleosa. Dessa vez optei pela versão da escova facial para peles mistas, que é a azul, pois a específica para peles oleosas não existe mais.

escova de limpeza facial

Além dessa, o LUNA 3 está disponível nas versões pele sensível (lilás e linda hahaha) e normal (rosinha).

E uma pergunta que muitas de vocês fazem é se tem diferença entre uma versão e outra dessa escova de limpeza facial, e a resposta é sim.

Muda tanto a espessura quanto a distribuição dos filamentos.

Como usar o FOREO LUNA 3

O primeiro passo é apertar o botão de liga e desliga do seu FOREO 3 e configurar a sua escova de limpeza e seu ritual de massagem facial.

Pra isso você vai baixar o app da FOREO no celular e emparelhar com a escova, que tem bluetooth (gente, é muita tecnologia e modernidade, misericórdia! rs).

luna 2 e luna 3

Feito isso, é só ir testando as diferentes intensidades de pulsação e definir um tempo limite para fazer a limpeza de pele profunda.

As suas preferências já ficarão salvas e sempre que você for usar o aparelho a limpeza será feita de acordo com as suas configurações.

Não precisa emparelhar mais com o aplicativo, ficar com o celular por perto, nada disso, tá?

Você só vai precisar do aplicativo novamente caso queira alterar suas configurações, rever o passo a passo da massagem facial ou se perder sua escova, pois ele tem a função “Encontrar Meu LUNA”. Adorei isso!

escova facial foreo

A intensidade 1 é a mais suave e a 16 é a mais intensa. No dia a dia uso a intensidade 6 por 1 minuto e dá conta direitinho da minha pele, mas já falo disso!

Função Massagem

Tanto o LUNA 2 quanto o LUNA 3 têm a função massagem facial, que é feita com a parte de trás do aparelho através de pulsações de baixa frequência.

E essa função, que uso muito, tá ainda melhor no LUNA 3, já que no app da FOREO tem vários programas de massagem facial específicos, inclusive para a região dos olhos, que vocês bem sabem que tenho problemas, pescoço, lábios, contornos e por aí vai.

Adoro essas massagens e uso muito também para potencializar absorção dos meus produtos de cuidados faciais, como a vitamina C, os hidratantes e anti idade.

FOREO LUNA 3

E é tudo muito fácil gente: é só dar o play e ir seguindo as instruções da tela.

Outras características e melhorias

Amei forte que a bateria do LUNA 3 dura até 650 utilizações. Migas, é quase 1 ano sem precisar recarregar, e isso usando duas vezes ao dia.

Acho maravilhoso o fato de poder fazer a limpeza facial durante o banho, ali no chuveiro mesmo, porque ela é uma escova facial totalmente à prova d´água e feita com silicone extremamente higiênico e resistente a bactérias, o que meu mercúrio em virgem agradece! hahaha

Impossível não bater na tecla da maravilhosidade que são os programas de massagem facial, que têm até 4 minutos e são bem completas, sabe?

FOREO LUNA 3

Tenho usado essa função praticamente todos os dias, principalmente na região dos olhos, meu karma!

Outra coisa que notei nessa versão da escova facial para peles mistas e que ela tem filamentos mais fininhos na base e mais grossos na ponta do aparelho, e isso faz uma super diferença naquelas regiões onde os cravinhos tendem a aparecer, sabe?

Meu nariz agradece! rs

Preço e onde comprar

O novo LUNA 3 custa R$1.199 aqui no Brasil (veja aqui).

E sim, eu bem sei que não é barato, mas olhando a durabilidade e o custo-benefício encaro como um investimento.

COMPRAR FOREO LUNA 3

Além da qualidade, que é excelente, da garantia e assistência técnica, ele entrega uma pele muito mais limpa e saudável, com menos oleosidade e espinhas. E é ótimo por ser 2 em 1, tanto escova de limpeza facial quanto massageador.

Uso há muito tempo (Play Plus, LUNA 2 e LUNA 3) e sinto na pele a diferença. Pele que, diga-se, está cada vez melhor!

Beijos, Ju♥

Bora papear mais? Me segue lá no Instagram ⇒ @jurovalendo

*Publicidade

27.09.2019

Sobre Esgotamento Mental

Só hoje, depois de mais de um ano, consegui sentar aqui pra falar com vocês sobre uma coisa que pra mim era uma “fraqueza”: esgotamento mental.

Quando vasculho minhas memórias sempre vejo uma Julliana forte, que sempre fazia e dava conta de tudo, não importavam as circunstâncias.

Na verdade, o normal pra mim sempre foi ser “incansável”, dormir pouquíssimas horas por noite, virar noites estudando, passar 18 horas sentada em uma cadeira “produzindo” porque, afinal, a vida não espera.

Eu tinha (e tenho) sonhos a realizar, metas pra bater, responsabilidades e obrigações. E nunca me passou pela cabeça a possibilidade de não conseguir fazer tudo no prazo que determinei.

E não importava a que custo.

esgotamento mental

E bati muitas metas, realizei muitos sonhos, senti orgulho do quanto eu era “forte”, enfim.

O problema é que eu ainda não tinha entendido que não era uma máquina. Que existiam limites.

E aí, junto com dezenas de coisas maravilhosas que construí, veio junto uma porção de coisas que não apenas eu não queria, mas que negava.

Esgotamento Mental, prazer!

Afinal, o que poderia ser mais importante que tirar 10 em uma prova ou ter 1 milhão de acessos por mês no blog ( que logo depois foi pra 2, 3, 4, 5…), não é mesmo?

Me acostumei tanto a passar dia e noite estudando e trabalhando desde cedo que aos 30 eu mal conseguia sair de casa.

Pior: não via nada de errado. Achava ótimo, aliás, assim tinha mais tempo pra “fazer as minhas coisas”.

Meu corpo e minha cabeça com certeza achavam o contrário, e quando todos os médicos que fui repetiram que eu estava estressada, que precisava desacelerar e ter qualidade de vida achei que eles eram preguiçosos.

Porque né, “tudo agora é estresse”.

Pouco tempo depois tive falência adrenal. Era o corpo berrando. Comecei o tratamento medicamentoso mas não mudei meus hábitos.

Eu ria e revirava os olhos diante dessa possibilidade.

Aí veio a síndrome de Burnout, ” uma frescura, coisa de gente preguiçosa que fica criando desculpa e doença que não existe”.

Estava no máximo cansada, nada que uns dias de férias não resolvessem.

E até tentei tirar férias há uns anos, viajar, mas continuava trabalhando de lá.

“De repente”, com pouco mais de 30 anos, já estava repondo um monte de hormônios e tendo dezenas de sintomas. Era óbvio que a coisa não estava funcionando, mas eu não tinha tempo.

Aí comecei a “falhar”, a não conseguir dar conta de tudo. Logo depois veio uma crise de pânico. Era o calor, obviamente (contém ironia).

O tempo foi passando e no meio do ano passado tive uma viagem a trabalho. Estava em Vitória da Conquista e ia pra Brasília.

Peguei um táxi cedinho, sofri um sequestro relâmpago e passei mais de 1 hora presa em um carro. Durante esse tempo só conseguia pensar que tinha perdido o voo e chegaria atrasada pra fazer o trabalho.

E sim, peguei outro voo algumas horas depois, com 4 escalas, cheguei em Brasília as 23 h e fui direto pro local onde iria fazer a ação. E fiz, fiquei lá até as 5 a manhã.

Não me permiti sentir nada, engoli o choro, o medo, a raiva e todo o resto porque eu não tinha tempo pra isso.

E continuei empurrando com a barriga, sem conseguir dormir e sem conseguir acordar. Sem conseguir produzir. Sem me permitir viver.

A conta, ela chega!

Só que eu não só não enxergava isso como negava todos os diagnósticos possíveis.

Até um dia em que estava tão, mas tão esgotada que não consegui mais chorar. Nem levantar. Nem nada.

Ali, naquele momento, comecei a entender, ainda que superficialmente, o que estava acontecendo comigo.

E decidi, mais por medo que por qualquer outra coisa, me dar todo o tempo necessário, mesmo que isso fosse contra tudo o que eu acreditava. Me dar qualidade de vida.

E aí se passou um ano e agora sim me sinto melhor.

E muitas vezes quis sentar aqui e conversar com vocês. Falar que queria estar produzindo centenas de conteúdo o tempo todo, mas não conseguia.

Era inaceitável admitir que estava esgotada física e mentalmente, inclusive pra continuar, no mesmo ritmo, fazendo o que mais amava.

Não fazia sentido, sabe? Não fazia porque o blog me salvou de muito mais formas do que vocês podem imaginar. Mas naquele momento a única pessoa que poderia fazer isso por mim era eu.

Não foi fácil encarar minhas vulnerabilidades, não saber até onde meu corpo e minha cabeça iriam aguentar. E não era o momento, ainda, de falar sobre isso.

Não foi fácil ter milhões de dúvidas durante esse tempo e deixar de compartilhar um mundo de coisas com vocês, que sempre estiveram comigo.

Quase nada foi fácil, aliás, e tentei de todas as formas possíveis “manter a normalidade”. Não consegui, obviamente, mas fiz o que pude, tenham certeza disso.

E precisava, realmente, estar comigo. Me reencontrar, reconhecer, reconectar e, sobretudo, estabelecer limites. Enxergar uma Julliana além do trabalho e das obrigações. Aceitar me sentir cansada, compreender que tava faltando vida em mim, pra mim.

“Acho” que aprendi. E é bom que tenha aprendido mesmo porque não quero viver isso nunca mais.

E se posso dar um conselho a você é: se dê tempo, tempo pra viver, pra ser você. Respeite seus limites, vá com calma, o mundo não acaba hoje não…

E respeite o tempo das pessoas. Você não tem ideia do que pode estar acontecendo na vida do outro.

No mais, é isso. Tô de volta, tô me sentindo pronta pra isso. Com todo compromisso do mundo com vocês, mas com muito mais leveza. Como deve ser.

Amo vocês!

Beijos, Ju♥

Bora papear mais? Me segue lá no Instagram ⇒ @jurovalendo

O que você acha do JV?
Ju, amo seu blog!!! suas dicas!!! vc é maravilhosa com sua opinião honesta!!! Sempre quando quero comprar algum produto venho aqui pra ver o que…