15.05.2017

Foliculite no Couro Cabeludo: Como Tratar?

Tempos atrás fiz um post aqui sobre foliculite, e recentemente uma leitora comentou que tem foliculite no couro cabeludo e queria dicas de cuidados e tratamentos.

Expliquei que o correto é procurar um dermatologista para analisar o problema, porque todo tratamento precisa ser individualizado, mas prometi que faria um post sobre o assunto.

Mas o que é foliculite, afinal? É a inflamação, aguda ou crônica dos folículos pilosos, que estão espalhados por todo o corpo, exceto na palma das mãos, da “planta” dos pés e nos chamados locais de transição entre a pele e as mucosas. Ou seja, a foliculite pode surgir em qualquer lugar do nosso corpo onde existam pelos.

Mas, o mais comum é que ela apareça no rosto, nas axilas, no bumbum, nas costas, nos braços, na virilha e no couro cabeludo, que tende a melhorar com cuidados básicos de higiene, mas pode, em alguns casos, levar à perda definitiva dos pelos, além de cicatrizes que ficam pra sempre.

foliculite no couro cabeludo

É importante ressaltar que o problema pode acontecer com qualquer pessoa, em qualquer fase da vida, mas que é mais comum quando a nossa imunidade está baixa, quando estamos acima do peso e em negros e asiáticos.

Causas e fatores de risco

São muitas as causas da foliculite, e a principal delas é a infecção pelo Staphilococcus aureus (estafilococos), mas muitas outras bactérias, vírus e fungos podem ocasionar o problema.

Os folículos do couro cabeludo são mais densos, e quanto mais eles forem danificados, mais sujeitos a foliculite eles ficam. A transpiração excessiva no couro cabeludo (eu passo por isso!), as dermatites e outras condições inflamatórias no local, bem como feridas e uso contínuo de antibióticos podem afetar os folículos e, consequentemente, ocasionar a foliculite no couro cabeludo.

No caso da foliculite superficial, as causas estão relacionadas a falta de higiene, ao atrito causado pelo uso de chapéus e bonés, bem como o uso de algum produto, geralmente pomadas e cremes para tratar outros problemas no local. A foliculite profunda, por outro lado, é causada por uma infecção intensa nos folículos pilosos.

Como tratar foliculite no couro cabeludo

O tratamento da foliculite no couro cabeludo passa por cuidados básicos de higiene e uso de antibióticos tópicos ou orais, a depender da gravidade do quadro.

Na foliculite superficial, quando a infecção está localizada na região de saída do pelo e os sintomas são pequenos pontos de pus com vermelhidão ao redor e bastante coceira, o mais comum é tratar com uma limpeza no couro cabeludo e aplicação de pomada antibiótica. Em alguns casos é indicado o uso de antibiótico de uso oral, mas essa é uma avaliação que somente um dermatologista pode fazer.

São recomendados os cuidados de higiene, como lavar os fios com regularidade e evitar o uso de bonés e chapéus, sobretudo quando há muita transpiração no local. É que esse ambiente quente, úmido e abafado é o palco perfeito para a proliferação de fungos.

foliculite no couro cabeludo

Imagens: Reprodução

O uso de compressas de água morna no local, usada várias vezes ao dia, ajuda na drenagem da pústula e acelera a recuperação. A higiene local geralmente é feita com água morna e sabonete antisséptica, e a região deve ser enxuta com uma toalha descartável.

No caso das foliculites profundas, como as decalvantes, onde é comum a presença de crostas, bolhas de pus, vermelhidão, edemas, dor, queloides e alopécia (o cabelo cai no local), o tratamento envolve, geralmente, a limpeza local e o uso de antibióticos, que vai variar a depender da bactéria que causou a infecção.

Esse tipo de foliculite pode destruir o folículo piloso, por isso a alopécia, e deixar cicatrizes. Existem casos, quando os nódulos são maiores, de drenagem aspirativa da secreção e intervenção cirúrgica.

Foliculite Dissecante

Esse é um tipo mais raro de foliculite, é crônico e apresenta um processo inflamatório intenso. É comum aparecerem nódulos, abscessos e fístulas que ocasionam a queda dos fios e o surgimento de cicatrizes hipertróficas, o famoso queloide.

O tratamento é feito com antibióticos, que serão determinados pelo antibiograma, e em alguns casos a associação com a isotretinoína apresenta bons resultados. Em alguns casos, os mais graves, há a indicação de excisão cirúrgica, drenagem e radioterapia. Aqui, a cicatrização com alopecia definitiva é, infelizmente, a regra.

O importante, em qualquer dos casos de foliculite no couro cabeludo,  é procurar ajuda médica assim que os sintomas surgirem  para evitar problemas maiores.

Alguém já passou por isso? Divide aí com a gente!

Beijos, Ju♥

Quer mais dicas como essa? Vamos papear nas redes sociais⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

06.10.2014

Foliculite: 10 Dicas Salvadoras!

A foliculite, aquelas “bolinhas” inflamadas que parecem pequenas espinhas e surgem, via de regra, quando depilamos, é uma praga que afeta a grande maioria das mulheres (pelo encravado, conhece?Pois é…). Ela pode ser de vários tipos e é conceituada como uma infecção dos folículos pilosos. Traduzindo: ela acontece quando um “exército de bactérias” invade o local onde o pelo está nascendo e causa uma inflamação.

Existem várias coisas que ajudam a amenizar o problema, mas o melhor é sempre prevenir! Olha só o que costuma funcionar:

1. Depilação: Higiene é tudo!

O método mais seguro pra evitar que os pelos encravem é a depilação a laser, que ainda não é acessível ($$$) pra todo mundo. Contudo, seja qual for o seu método depilatório, higiene é fundamental pra evitar a proliferação de bactérias. Portanto, jamais use cera reaproveitada, verifique se os utensílios usados na clínica estética ou salão são descartáveis ou esterilizados, olhe as condições de higiene do local, e, caso depile com lâmina, após o uso lave o aparelho, preferencialmente com um sabonete antisséptico, e conserve-o longe da umidade.

foliculite

2. Pele limpa!

Se você costuma ter esse tipo de problema, experimente lavar a região com o mesmo tipo de sabonete usado pra acne, preferencialmente que tenha ácido salicílico e/ou enxofre. E não esqueça: jamais depile com a pele suja! Tem que lavar bem antes de depilar!

3. Esfoliação é “de lei”!

É preciso esfoliar a pele 1 vez por semana, e se o esfoliante tiver ácido salicílico é melhor ainda! Aqui vale lembrar que a esfoliação sempre vem antes da depilação, e caso não tenha um esfoliante em casa vale usar bucha vegetal (eu uso desde sempre e amo, viu?).

A esfoliação deixa a pele lisinha e livre das células mortas, e isso ajuda nesses casos porque uma das principais causas da foliculite é o excesso de queratinização.

4. Tratamento caseiro para foliculite

Esse truque eu aprendi com uma amiga minha, a Lulu, que sofria horrores com pelo encravado. Ela pega 3 comprimidos de ácido acetilsalicílico e machuca bem, depois mistura com 10 ml de sabonete líquido neutro e usa essa mistureba pra esfoliar a região a ser depilada 1 dia antes.

Aí, antes de depilar, ela “faz” um sabonete com 10 ml de sabonete líquido e 1 comprimido de ácido  acetilsalicílico e aplica na região a ser depilada, enxaguando em seguida.

Já fiz isso várias vezes e funciona muito bem!

foliculite

5. Esqueça as roupas apertadas!

Roupas apertadas, sobretudo de tecidos sintéticos, devem ser evitadas. Os tecidos sintéticos, simplificando, não deixam a pele respirar, e com isso o local fica quente e úmido, e quando a roupa é apertada isso gera um atrito que machuca a pele, uma mistura que resulta num palco perfeito pras bactérias brilharem!

6. Cuidado com cremes “pesados”!

Não vou mentir, adoro aqueles cremes mega potentes, pesadões mesmo, mas eles devem ser evitados após a depilação, principalmente por quem tem tendência a foliculite. O ideal, logo após a depilação, é usar uma loção calmante ao invés de hidratantes de qualquer tipo, já que eles tendem a ocluir os poros e isso acaba atrapalhando a saída dos pelos. Nos dias seguintes opte por hidratantes mais leves, pois quanto mais “pesado” e “grosso” for o hidratante, maior o risco de “embolar o meio de campo” e piorar a situação.

7. Depilação com lâmina: faça do jeito certo!

Já me disseram mil vezes pra mudar o método, mas  sou covarde pra dor e a única vez que tentei usar cera dei um grito tão grande na primeira “puxada” que desisti para todo o sempre.  Ou seja, uso lâmina mesmo e pra não ter problema com pelos encravados faço assim: um dia antes esfolio a pele pra remover o excesso de células mortas e no dia seguinte, antes de depilar, lavo a região com sabonete  e aplico uma espuminha de barbear (Tô adorando a Woman Bic) porque não pode “depilar no seco”. Se não tiver espuminha, use algo que ajude a lâmina a deslizar.

E agora o pulo do gato: tem que usar a lâmina no sentido do crescimento do pelo, porque isso ajuda a evitar que os pelos encravem. Acabou? Nada de usar óleos ou cremes pesados, pelos motivos explicados acima!

8. O método mais problemático

Pra quem já tem tendência a ter foliculite, a depilação com cera é o método mais problemático, o que mais leva ao surgimento dos pelos encravados, então, caso você não abra mão, ao menos tente intercalar com outros métodos pra dar um tempo maior pra que a pele se “recupere”.

foliculite

9. Produtinho salvador pra foliculite

Existe um produto chamado Tend Skin que é maravilhoso pra quem tem foliculite. Ele pode ser usado em qualquer tipo de foliculite, em qualquer parte do corpo e proporciona excelentes resultados. A parte ruim é que mesmo sendo vendido no Brasil não é tão fácil de ser encontrado nas farmácias, mas dá pra achar na loja virtual da importadora por R$125,00 (aqui), o que não é nenhuma pechincha, né?

Mas, pra quem sofre com o problema, esse produto é um curinga e vale o investimento!

10. Tratamento para foliculite

Tá aí com os pelos encravados e não sabe o que fazer? Pega 10 ml de glicerina, mistura com 5 comprimidos de ácido acetilsalicílico machucadinhos, faz uma “papinha” e guarda em um potinho pequeno. Daí é só aplicar essa misturinha na região 3 vezes ao dia que rapidinho a coisa melhora!

Ah, se você for alérgico ao ácido acetilsalicílico não use de jeito nenhum!

Conhece alguma outra dica que possa ajudar? Avisa aí!

Beijos, Ju

Quer mais dicas como essa? Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

O que você acha do JV?
Amo as dicas, resenhas...enfim, tudo aqui no JV é um serviço público e de grátis rsrs , sigo as dicas da Ju e até hoje…
As leitoras mais incríveis da vida
  • “Sê sempre o mesmo. Sempre outro. Mas sempre alto. Sempre longe. E dentro de tudo. ✨✨✨”
Cecília Meireles, que nunca soube, mas é minha amiga desde 1990, quando “descobri” que ela existia nas prateleiras da biblioteca da Uesb, minha “babá” por muitos, muitos  anos. ☺️ #QueSorte #JuroValendo
  • Conhecem o blog de minha amiga, @jurovalendo ? Passem lá... Escrevi algo legal... @isadorabacelar.r #amizade #jurovalendo #julopes #amor #meueuloiro #fidelidade #gastronomia #amando #mudanca #salvador #unifacs
  • Mudar de profissão nunca é fácil, bem sei como é difícil lidar com as dúvidas, as angústias e, também, com o julgamento alheio.

Mas acredito, também, que fazer algo que a gente ama não tem preço. Que alegria, felicidade e realização não têm preço.

A @isadorabacelar.r também acha, encarou a mudança e contou tudo pra vocês lá no blog. 💕
#MulherDe30 #MudeiDeVida #JuroValendo
Quer ver a sua foto publicada aqui no blog?
Poste no instagram uma foto com a hashtag
#JuroValendo