JuPost da Ju
25 out 14

Sapatos da Mulher de Escorpião

Astrologia, Moda

Lembram que, tempos atrás, comecei a fazer uma “brincadeira astrológica” por aqui? Esqueci completamente e foi uma leitora (de capricórnio!) que me lembrou, daí fui olhar e ainda faltavam 4 signos, mas eu juro valendo que rapidinho coloco todos aqui, tá?

E vamos (re) começar com as mulheres de escorpião, que são poderosas até dizer chega!

mulher de escorpião

A mulher de escorpião é intensa, profunda, misteriosa e extremamente sensual, mesmo que não queira ou perceba. Ela é, simplificando, puro poder, e seus sapatos devem seguir a mesma “linha”.

Sapatos discretos não são com elas. Elas são marcantes e gostam de peças marcantes, e pra comprar um sapato (ou vários deles) ela precisa se apaixonar verdadeiramente. Ou seja, ela não quer uma sandália linda, ela quer uma sandália tão incrível quanto ela.

Tendem a gostar de sapatos de linhas mais retas e cores escuras, além do vermelho e do vinho,  de materiais como o couro e renda, de peças imponentes e de detalhes mais “pesados”, como zíper, tachas e coisas do tipo.

mulher de escorpião

“Dona de si”, vaidosa e poderosamente feminina (mas não do tipo romântica),  ela “segura” bem qualquer tipo de sapato  e sabe como poucas ser, ao mesmo tempo, provocante e sutil.

Pois é, essa mulher é demais!

Aliás, falando em escorpião, meu “mapa astral” é todo concentrado nesse signo (tenho “um mundo” de planetas na casa 10 em escorpião), e mesmo sendo uma leonina nata, tenho trocentas características das “regidas por plutão”!

No próximo post a gente fala das sagitarianas, certo? E quem quiser ver os demais signos é só clicar aqui.

Beijos e bom final de semana!

Ju

JuPost da Ju
24 out 14

Déficit de Atenção Sim, E Daí?

Comportamento

Comentei tempos atrás Face que tava precisando de um “bolsa farmácia” por causa do preço do Venvanse (da Ritalina LA e do Concerta também!) e uma leitora, com o intuito de me preservar, ressaltou que era pra ter cuidado em falar sobre isso porque ainda existe muito preconceito com o TDAH, que, pra quem não conhece, é o Déficit de Atenção.

Agradeci de coração o cuidado, mas preferi fazer o oposto, porque não é um remédio que vai definir quem ou o que eu sou. Um remédio é só um remédio, e eu sou muito mais do que isso.

Muitas vezes questionei se isso era mesmo déficit de atenção porque pra mim parece meio lógico só prestar atenção no que me interessa, e até hoje acho a nomenclatura equivocada, mas isso também é uma besteira e não vou perder tempo com essas coisas.

Déficit de Atenção

O fato é que, sim, eu tenho déficit de atenção e não vejo nada demais nisso. Vejo mais como um conjunto de características diferentes, com limitações um pouco diferentes, mas, afinal, quem não tem características e limitações diferentes?

Acho bobo isso de rotular, sabe? E não vejo isso como um “bicho de 7 cabeças”, mas como um “padrão diferente”, que precisa sim de “tratamento”, mas que, sobretudo, precisa ser encarado com leveza, com naturalidade, sem drama e sem fuê.

Meu maior problema em relação ao TDAH sempre foi a falta de organização, e isso é sim uma coisa muito complicada porque minha vida era um caos. Esquecia as coisas, me embolava, não conseguia ter um equilíbrio, sabe? Isso,  assim como o fato de ser extremamente impaciente e muito impulsiva, gerou muitas coisas ruins, e só melhorou com o uso do medicamento.

Entretanto, nunca tive deficiência de aprendizado, ao contrário, sempre aprendi tudo muito rápido, mas do meu jeito, o que me interessava, o que chamava a minha atenção. Em compensação, não dava conta de prestar atenção numa aula inteira (exceto nas das minhas matérias preferidas), ficava inquieta, levantava várias vezes, o que era bem chato (principalmente para os outros).

Nada disso me impediu de estudar, fazer faculdade ou algo do tipo, até porque só fui começar a fazer o tratamento (de forma séria) bem depois de terminar a faculdade. Passei no vestibular sem precisar de cursinho, fiz Direito numa excelente universidade, era uma ótima aluna nas matérias do meu interesse e mediana nas outras e passei na OAB sem problemas.

Déficit de Atenção

Ou seja, o estigma de que uma pessoa que tem déficit de atenção é burra, como já ouvi várias vezes, é absurdo. Acredito que muitos dos “limites” somos nós que  colocamos na nossa cabeça, e eu nunca acreditei em limites.

Assim como é absurdo ver pais que se recusam a, após o diagnóstico, tratar seus filhos porque “psiquiatra é coisa de doido” e “tarja preta é coisa de maluco”. Claro que existe um exagero na prescrição de Ritalina, que muita gente toma sem a menor necessidade e lógico que “nem tudo é TDAH”, mas eu, que conheço os dois lados da história, acho de uma negligência sem tamanho deixar de tratar o que precisa (e pode!) ser tratado por puro preconceito.

Se essas pessoas soubessem o quanto o tratamento adequado vai melhorar a qualidade de vida da criança (adolescente ou adulto) com TDAH, o quanto vai mudar a vida dessa pessoa, jamais fariam isso. Sabe, não faz sentido “sofrer” se tem como “não sofrer”, e sim, eu sou absolutamente a favor da “medicina do bem-estar”, porque se existem meios de proporcionar mais bem-estar, de melhorar a qualidade de vida, porque não fazer isso? Não entendo!

Tem anos que faço acompanhamento com uma neurologista, já passei por todos os medicamentos pro TDAH, e hoje o que funciona bem pra mim é o Venvanse, que custa o equivalente a dois ruins, mas faz uma diferença enorme na minha vida. Posso viver sem o medicamento? Claro que sim, mas prefiro, com certeza, viver com ele, porque me faz bem, porque me dá qualidade de vida e porque tudo fica mais “fácil”, como parece ser para as outras pessoas.

Déficit de Atenção

O que mudou depois do medicamento? Tudo! Minha impulsividade reduziu drasticamente, assim como a minha impaciência. Ainda sou muito acelerada, continuo tendo o “hiperfoco” nas coisas do meu interesse, mas também consigo prestar atenção nas outras coisas, o que era inviável. Continuo desorganizada, mas muito menos que antes, e convivo melhor comigo mesma e com as outras pessoas, sobretudo porque a necessidade de estímulo o tempo todo reduziu bastante.

Muita gente fala dos efeitos colaterais desses medicamentos e a minha experiência é a seguinte: existe sim um período de adaptação, e no caso da Ritalina “normal” eu me sentia meio “instável”, porque o período de ação do medicamento é curto, mas no caso da Ritalina LA, do Concerta ou do Venvance a coisa muda completamente. É assim com todo mundo? Lógico que não, mas só posso falar da minha experiência.

Eu não tenho nenhum efeito colateral e mesmo que tivesse iria “pesar na balança” pra ver se os benefícios compensariam. Quanto a isso, aliás, é bom lembrar que praticamente tudo na vida tem efeitos colaterais, e isso não significa que eu tô fazendo “apologia” ao uso de medicamento, só estou dizendo que não acho lógico que alguém não se trate quanto pode se tratar e viver melhor.

Enfim, quis falar sobre isso porque já comentei várias vezes no Face e muita gente pedia pra que eu fizesse um post, e quem quiser mais informações sugiro dar uma olhada no site do ABDA (aqui) e também no livro da Dr. Ana Beatriz Barbosa ( o site dela é esse aqui), que é psiquiatra, tem TDAH e escreveu um livro bem legal sobre o assunto, o Mentes Inquietas.

Beijos

Ju

JuPost da Ju
23 out 14

Ampola de Tratamento Intensivo Vinoterapia Nativa SPA – O Boticário

Assessoria, Cabelos

O “verão” já chegou na cidade de vocês? Porque, como moro “na esquina do sol”, por aqui ele chegou em setembro, antes de começar oficialmente a primavera, sabe? Pois é, o calor daqui não respeita nem as estações do ano! rs

E como o “verão” por aqui dura quase o ano todo, meu cabelo sofre, porque o sol desbota e estraga os fios, como já expliquei nesse post aqui. Quando ele estava castanho não sentia tanto o desbotamento, mas agora que tá bem loiro o “bicho pega”, porque a cor vai ficando amarelada, mas um amarelo “fubento”, sabe como é?

ampola vinoterapia nativa SPAPois é, pra minimizar isso é preciso lançar mão de produtos que protejam a cor e que ofereçam proteção solar, e uma linha que eu tô amando pra isso é a Vinoterapia Nativa SPA, de O Boticário, que protege e revitaliza a cor, prevenindo a oxidação dos pigmentos e mantendo a intensidade por até 20 lavagens.

Tempos atrás comprei o Shampoo Desamarelador Vinoterapia e gostei demais (post aqui), e logo depois recebi os demais produtos da linha pra testar. Já fiz resenha do leave-in (post aqui) e hoje vamos papear sobre as ampolas.

ampola vinoterapiaDiz no rótulo que “o produto foi elaborado com  extrato de absinto e semente de uva, e que sua fórmula nutre, hidrata e repara profundamente a estrutura do fio, garantindo maior durabilidade da cor e do brilho. Ajuda a manter a saúde do cabelo, reduzindo o desbotamento da cor através de seus ingredientes antioxidantes, oferece proteção térmica e filtros UV”.

A caixa vem com 3 unidades de 15 ml cada, e a embalagem da ampola é resistente. Uma coisa legal é a tampa, porque depois de aberta é só virar o lado do “bico” que dá pra fechar, sabe? Pra quem tem cabelo mais curto ou menos volumoso, que não usa a ampola toda de vez, isso é ótimo!

ampola vinoterapiaA textura é cremosa e não muito grossa, o produto é rosa claro e não interfere na pigmentação dos fios, e o cheiro é o mesmo da linha: delicioso!

Usei como manda no rótulo, aplicando após o shampoo, deixando agir  5 minutos, enxaguando e usando o condicionador em seguida.

Assim que apliquei senti que o cabelo ficou mais suave ao toque, e isso ainda molhado, como se tivesse um “filme” ali que fizesse a mão escorregar, entende? O cabelo também desembaraçou mais fácil e parou por aí, não notei mais nenhum efeito dos que eu gosto, como o cabelo “amolecer” e tal.

ampola vinoterapiaDepois que enxaguei e usei o condicionador (da mesma linha), o cabelo ficou muito macio, mas quando secou o efeito mais evidente, que é o grande diferencial dessa linha, foi a “iluminação”, porque os fios ficam bem iluminados, com as mechas mais destacadas, e isso, claro, muito me agrada!

Ela também dá uma selada boa nos fios, e acho que isso ajuda a “prender” a cor. Não posso dar um parecer final sobre a questão do desbotamento porque estou usando todos os produtos da linha, não só as ampolas, e porque preciso de mais tempo pra ver como o cabelo reage, mas com certeza é um produto que vai morar na minha bolsa de praia!

ampola vinoterapiaO fato de ter proteção solar, protegendo do desbotamento, e de iluminar os fios pesa muito pra mim, e recomendo fortemente pra quem vai passar uma temporada na praia, pra usar antes de ir pra piscina e também pra ajudar a manter a cor livre do desbotamento ao longo do ano.

Como preciso usar produtos reconstrutores, tô pensando em começar a alternar, mas não quero parar de usar essa linha porque tenho notado uma boa diferença no tom dos fios, que fica mais “intenso”, sabe como é?

ampola vinoterapia nativa SPA Muita gente aqui faz o cronograma e já sei que vão perguntar, mas não acho que ela se encaixe exatamente como hidratação, nutrição ou reconstrução. Pra mim é um produto que protege a cor, que tem a função de manter a cor intensa, de minimizar o desbotamento e de iluminar os fios.

A caixa sai por R$36,99 e dá pra comprar na loja virtual ou nas lojas físicas do Boti. Alguém já testou? Vocês costumam usar produtos pra proteger a cor? Usam quais?

Beijos

Ju

* O produto foi enviado pela assessoria da marca, o que não interfere, de forma alguma, na opinião do autor do post.

JuPost da Ju
22 out 14

Hidratação de Leite de Coco: Funciona Muito Bem!

Cabelos

Tem anos que uso óleo de coco no cabelo pra fazer umectação e já falei muito disso por aqui (post aqui), lembram? Daí tempos atrás uma leitora me falou que usava o leite de coco e resolvi testar, só que ao invés de usar o leite de coco industrializado, preferi o “natural” e acho o efeito bem melhor.

E é super fácil de fácil: é só bater no liquidificador  a polpa ralada de 1/2 coco com 1 copo de água quente ou água de coco (quente). Faço com essa quantidade de água pra ficar mais grossinho, mas geralmente as pessoas diluem mais. Depois de bater é só coar numa peneira fina (se tiver coador de pano é melhor) e usar, não tem segredo!

hidratação de leite de coco

Costumo usar de duas formas:

1. “Umectação”

Quando faço umectação com o leite de coco, dou uma esquentadinha antes (potencializa o resultado, como expliquei nesse post aqui), coloco 20 ml numa vasilha e misturo com 10 ml de Bepantol. Daí vou borrifando nos fios, coloco uma “touca de alumínio” e deixo agir por 1 hora. Se o cabelo for ressecado, basta enxaguar, mas em cabelos mais finos e ralos é melhor lavar em seguida, mas com um shampoo mais hidratante.

O cabelo fica uma seda, super macio e alinhado, do jeito que a gente gosta, sabe? E é uma ótima opção pra quem não encontra óleo de coco facilmente, né? Essa dá pra fazer, dependendo do tipo de cabelo, 1 vez na semana.

hidratação de leite de coco

2. A  Hidratação Poder

A hidratação faço misturando 2 colheres de máscara hidratante (qualquer uma) e  2 colheres de leite de coco, mas  se quiser pode usar  5 ml de Bepantol e 5 ml de Glicerina também. Não precisa usar todas essas coisas, basta a máscara e o leite de coco, mas se tiver bepantol e glicerina em casa, faça o teste!

Lavo o cabelo com shampoo, removo o excesso de umidade, aplico a “mistura”, deixo agir por 15 minutos (se usar glicerina, use a touca!) e enxáguo em seguida. O resultado? Um cabelo muito macio, sedoso, soltinho e cheio de brilho!

O leite de coco é muito bom pois é rico em vitaminas, ácidos graxos,  proteínas e minerais, inclusive enxofre, que é excelente pro cabelo (expliquei nesse post aqui). Ele ajuda a hidratar e nutrir os fios, e como é uma coisa que você mesma pode fazer, fica mais fácil, né?

hidratação de leite de coco

Sempre que faço sobra um pouco, mas aí guardo na geladeira em uma vasilha com tampa pra usar depois e dura, em média, 15 dias. Alguém aqui já testou? Eu tinha um super preconceito com essas “misturinhas”, mas elas são tão boas que me rendi!

Ah, e se quiser conhecer mais receitinhas como essa é só clicar aqui.

Beijos

Ju

Página 1 de 33112345
Up