06.03.2016

Sobre a Mulher Mais Forte Que Já Conheci

Semana passada, numa aula de filosofia, o professor fez um questionamento sobre quem era a mulher mais forte que nós já havíamos conhecido, quais eram as características dessa mulher e porque ela nos inspirava tanto.

As pessoas começaram a falar de várias mulheres maravilhosas, que tinham carreiras fenomenais, com grande capacidade de liderança e que conseguiram feitos incríveis, mas eu só conseguia pensar mesmo em minha Vó Nete, que tá lá no céu.

Ela mal sabia escrever o próprio nome, passou a vida toda na fazenda, usava roupas simples, tinha uma linguagem ainda mais simples, uma vida comum, mas foi, com certeza, meu maior exemplo de força na vida, porque do alto dos seus 1.50 m, ela era uma gigante.

mulher mais forte empoderamento feminino

Numa época em que mulheres jamais interferiam nos “negócios do marido”, ela, que tinha uma fazenda com meu avó, colocou dois compradores de gado pra correr, com a espingarda na mão (pois é rs), porque meu avó negociou a venda de um gado sem falar com ela antes, o que, pra ela, era uma ofensa, já que tudo era dos dois e ela trabalhava tanto quanto ele. E não, ela nunca foi dona de casa, não tinha talento pra isso (tive a quem puxar! hahaha).

Ele, que tinha juízo, entendeu o recado e nunca mais tomou uma decisão sem consultá-la. Que sorte a deles. Que sorte a nossa. Sorte porque poucos anos depois, quando minha avó tinha uns 40 anos, meu avó faleceu num acidente de carro.

Eles tinham 8 filhos, e o mais novo tinha apenas 6 anos de idade. Na fazenda, nessa época, moravam dezenas de pessoas que precisavam daquilo pra viver, e que, a partir daquele dia, numa época em que lugar de mulher era na cozinha, dependiam exclusivamente dela.

E ela, sozinha, deu conta de tudo. Criou os filhos, cuidou da fazenda, das coisas dela e, como ela dizia, do povo dela, sendo de tudo um pouco, numa terra onde tudo acontecia e não tinha ninguém pra resolver. Ela resolvia.

Construiu uma escola pras crianças de lá estudarem, e os maiores, numa estrada de terra batida, iam pra um vilarejo vizinho. Ia de casa em casa orientar sobre questões de higiene, numa época em que a cólera era uma epidemia, conscientizou a mulherada sobre a importância da pílula, que, sim, ela fornecia, e fez de tudo um pouco pra melhorar a vida do seu povo.

Nunca fez distinção entre preto e branco, pobre e rico, homem ou mulher. Na casa dela todo mundo era igual, todo mundo sentava na mesma mesa e comia do mesmo pão, sem distinção, como deve ser.

Sempre foi forte e até o último dia foi a base, o porto seguro, pra todos nós. Era uma mulher que jamais levantava a voz, bastava o olhar, e sua palavra sempre foi o ponto final de todas as questões.

E nunca, em nenhum momento, a vi fraquejar. Nem quando o câncer chegou e disseram que ela teria poucas semanas. Ele teve mais de 1 ano e continuou sendo o que sempre foi: forte e independente. Jamais se vitimizou, jamais perguntou porquê, jamais praguejou contra a vida. As coisas, ela dizia, são como têm que ser.

E quando tudo começou a desmoronar, ela, cada vez mais magrinha e fraquinha, sem conseguir fazer quase nada, fazia questão de tentar fazer quase tudo. E é exatamente por isso, pela força e dignidade com que enfrentou a vida e a morte, que ela é o meu maior exemplo de força.

Porque foi pelo seu exemplo, de uma pessoa simples, que vivia na roça e viu tão pouco do mundo, que aprendi tanto da vida. Aprendi que as pessoas são iguais e merecem o meu respeito, aprendi a não apontar o dedo. Aprendi que ter mais não me faz ser mais, e que olhar os outros “de cima” só faz com que eu seja menor. Aprendi que tenho que dar o meu melhor todos os dias, e que, seja lá o que a vida me traga, eu tenho que encarar de frente, com força, com fé.

Aprendi que eu podia fazer tudo, e que o fato de ser mulher não deveria, jamais, ser uma limitação, e isso me deu uma liberdade enorme e um poder absurdo sobre mim mesma.

Foi olhando os passos dela que aprendi a acreditar na força que existe dentro de mim. E é lembrando e sentindo, com o coração, a sua firmeza, que eu tenho certeza que sim, eu sou mulher e posso tudo, e posso mais. Basta querer e começar a fazer. ♥

Agora quero saber quem foi a mulher mais forte que vocês já conheceram, contem aí!

Beijos, Ju♥

Escreva seu comentário

* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça no comentário? Clique aqui.
15 comentários
  1. Moema Viana  06/03/2016 - 16h07

    Ju, parabéns pela sua vó, vc tem exemplos lindos.
    Agora me conta, que aula foi essa? Faculdade ou curso?

    bjos

    • Ju  06/03/2016 - 17h56

      Obrigada, Mo! <3
      Curso mesmo, adorooo! rs

  2. Emanuella  06/03/2016 - 16h22

    A mulher mais forte que conheço é minha maenzinha. Minha guerreira.

    • Ju  06/03/2016 - 17h56

      Parabéns ´pra ela, Manu! ;)

  3. Andreia R. de Araujo  06/03/2016 - 20h25

    Oi Ju, linda história de sua vó, essas são as mulheres guerreiras de verdade!
    Meu maior exemplo de mulher é e sempre será minha mãezinha, mulher batalhadora, que sempre lutou por sua família. Sou privelegiada de ter tido d. Maria como mãe, infelizmente ela já não está mais entre nós, mas para todo sempre em meu coração. Muita saudade, mas como ela diria: Se anima que a vida não para! Força minha filha, desanima não!
    Bjks

  4. Rute Gonzaga  07/03/2016 - 00h03

    Ju leio seu blog todo dia, amo tudo, mas esse foi o melhor post que ja fez, me emocionei de verdade. Bjs

  5. Madalena Honorio  07/03/2016 - 10h06

    Ju querida, seu texto está emocionante de ler! Que privilégio ter convivido com uma mulher como sua avó! <3 A mulher mais forte da minha vida é minha mãe! Tive problemas de saúde super sérios (já superados, graças a Deus) e, todas as vezes que abria os olhos quando estava no hospital, ela estava do meu lado. Nunca reclamou e nunca chorou na minha frente para que eu não desistisse! Mulheres fortes assim devem ser nossa inspiração cotidiana, não é? Obrigada pelo post mais lindo do ano! Super beijo! Boa semana!

    • Ju  07/03/2016 - 10h11

      Ma, linda, que bom que você gostou! <3
      Foi um privilégio mesmo, e ensina tanto pra gente, né?
      E que sorte a sua ter uma mão tem incrível!
      Beijo enorme e uma semana linda pra ti! <3

  6. Mah Simão  07/03/2016 - 13h10

    Chorando, que lindo! ♥

  7. Alessandra  07/03/2016 - 14h14

    Nossa que lindo *_*

  8. Priscila  07/03/2016 - 18h52

    Ju, que linda história!
    Lembrei da minha avó, que tbm foi e é uma mulher mt forte que criou os 5 filhos sozinha e Deus…
    Trabalhou duro na roça desde mt novinha. Os pais a deram pra uma família aos 6 anos de idade.
    Só conheceu sapatos aos 9 e bonecas tbm… No entanto que, faz coleção de bonecas até hoje em dia. Ama. rs
    Ouço essas histórias que ela conta e fico super emocionada. Adoro ouvi-las.
    Mulheres assim só nos inspiram, avós então, melhor ainda, pois tá no sangue, né? rs
    Grande beijo!

  9. Mary Ane  07/03/2016 - 23h00

    Ju, chorando horrores aqui com o seu post, que mulher incrível foi a sua vó! Parabéns pelo texto, ficou belíssimo e impossível de não desejar ter conhecido sua vó.
    A mulher da minha vida é a minha mãe, que eu amo de paixão! Bjos.

  10. Caroline  09/03/2016 - 16h29

    Ju te amo, me sinto como se eu fosse sua amiga a muitos anos, amo seus textos.
    Muito sucesso sempre.

    • Ju  09/03/2016 - 17h13

      Rol, minha linda, MUITO obrigada! Por mais louco que seja tudo isso, eu sinto a mesmo coisa! <3
      Beijos

O que você acha do JV?
Depilação Perfeita: o guia! 8 Dicas para escolher o sutiã perfeito! Mega Hair Saudável: 5 Dicas Certeiras Como ter mais qualidade de vida? Tenha pique extra já! Como acabar com a insônia? Rituais de Prosperidade pro Ano Novo Ceia da Virada pra um ano Incrível!