08.03.2016

Seja a Mulher Que Você Sempre Quis Ser

Porque você pode!

Todos os dias venho aqui e converso sobre um mundo de coisas com vocês. Coisas divertidas, coisas sérias. Coisas alegres, coisas tristes. Coisas, coisas da vida. E o que eu quero com cada uma dessas coisas é que você, que tá aí do outro lado da telinha, seja a mulher que você sempre quis ser, a mulher incrível que tá aí dentro abafada por tantas, tantas coisas.

Falar de beleza é legal, e todo esse universo é incrível sim, mas o mais importante é o que está na entrelinhas: eu não quero falar de beleza pra que você tente se enquadrar em um padrão, pra que você compre 100 milhões de produtos ou coisas do tipo. Não, eu não. Eu quero falar de beleza pra que você coloque pra fora toda a beleza que tem aí dentro, pra que você se aceite, se ame, se respeite. Pra que você consiga ser a mulher que você quer – e pode- ser.  É isso que me interessa.

Me interessa que você entenda que é incrível sim, e que pode tudo, que pode mais, sempre mais. E pode todos os dias, porque a vida não espera, ela vai acontecer quer você participe e faça acontecer ou se acomode e fique sentadinha vendo a banda passar.

Nada contra. Cada um faz o que quer, mas, sabe, eu sei do potencial que você tem, eu sei que você pode construir uma história incrível, eu acredito em você e quero que você acredite também. Eu preciso disso, aliás. Preciso porque quero acreditar que o que eu falo e faço por aqui todos os dias te inspira de alguma forma, e inspira não só a se cuidar por fora, mas por dentro, que é o que realmente faz diferença.

Eu quero que você saiba que sentir medo é normal e que, assim como todo mundo, eu já me apavorei muitas vezes. Que dificuldades existem, e que matar um leão por dia, talvez, faça parte da sua trajetória. Que quase nunca é fácil olhar pra dentro e dar ouvido aos próprios anseios, e que o barulho do burburinho alheio vai tentar o tempo todo abafar os teus sonhos, mas você não pode deixar.

Seja a Mulher Que Você Sempre Quis Ser

Créditos: Shutterstock

Não pode porque no fundo, por trás de todas as máscaras, você, em essência, é forte, é corajosa, é determinada, é livre. Você pode até não saber, mas você é, eu te garanto.Você sonha, você deseja, você quer, e pode sim realizar, e pode sim ser quem você é, e, mais ainda, pode ser quem você sempre quis ser.

Você é mulher, é quem tem o poder de criar, de gestar, de carregar outra vida dentro de si. Você tem o poder, ele é seu e é muito maior do que você imagina, não precisa ter medo não, não precisa, como disse o Zack Magiezi, deixar seus sonhos se prostituindo na zona de conforto.

Vá a luta, hoje e sempre, e faça acontecer. Seja, sempre, a mulher que você quiser ser.

Um beijo enorme e feliz dia pra nós, as donas do mundo! Ju ♥ 

 

06.03.2016

Sobre a Mulher Mais Forte Que Já Conheci

Semana passada, numa aula de filosofia, o professor fez um questionamento sobre quem era a mulher mais forte que nós já havíamos conhecido, quais eram as características dessa mulher e porque ela nos inspirava tanto.

As pessoas começaram a falar de várias mulheres maravilhosas, que tinham carreiras fenomenais, com grande capacidade de liderança e que conseguiram feitos incríveis, mas eu só conseguia pensar mesmo em minha Vó Nete, que tá lá no céu.

Ela mal sabia escrever o próprio nome, passou a vida toda na fazenda, usava roupas simples, tinha uma linguagem ainda mais simples, uma vida comum, mas foi, com certeza, meu maior exemplo de força na vida, porque do alto dos seus 1.50 m, ela era uma gigante.

mulher mais forte empoderamento feminino

Numa época em que mulheres jamais interferiam nos “negócios do marido”, ela, que tinha uma fazenda com meu avó, colocou dois compradores de gado pra correr, com a espingarda na mão (pois é rs), porque meu avó negociou a venda de um gado sem falar com ela antes, o que, pra ela, era uma ofensa, já que tudo era dos dois e ela trabalhava tanto quanto ele. E não, ela nunca foi dona de casa, não tinha talento pra isso (tive a quem puxar! hahaha).

Ele, que tinha juízo, entendeu o recado e nunca mais tomou uma decisão sem consultá-la. Que sorte a deles. Que sorte a nossa. Sorte porque poucos anos depois, quando minha avó tinha uns 40 anos, meu avó faleceu num acidente de carro.

Eles tinham 8 filhos, e o mais novo tinha apenas 6 anos de idade. Na fazenda, nessa época, moravam dezenas de pessoas que precisavam daquilo pra viver, e que, a partir daquele dia, numa época em que lugar de mulher era na cozinha, dependiam exclusivamente dela.

E ela, sozinha, deu conta de tudo. Criou os filhos, cuidou da fazenda, das coisas dela e, como ela dizia, do povo dela, sendo de tudo um pouco, numa terra onde tudo acontecia e não tinha ninguém pra resolver. Ela resolvia.

Construiu uma escola pras crianças de lá estudarem, e os maiores, numa estrada de terra batida, iam pra um vilarejo vizinho. Ia de casa em casa orientar sobre questões de higiene, numa época em que a cólera era uma epidemia, conscientizou a mulherada sobre a importância da pílula, que, sim, ela fornecia, e fez de tudo um pouco pra melhorar a vida do seu povo.

Nunca fez distinção entre preto e branco, pobre e rico, homem ou mulher. Na casa dela todo mundo era igual, todo mundo sentava na mesma mesa e comia do mesmo pão, sem distinção, como deve ser.

Sempre foi forte e até o último dia foi a base, o porto seguro, pra todos nós. Era uma mulher que jamais levantava a voz, bastava o olhar, e sua palavra sempre foi o ponto final de todas as questões.

E nunca, em nenhum momento, a vi fraquejar. Nem quando o câncer chegou e disseram que ela teria poucas semanas. Ele teve mais de 1 ano e continuou sendo o que sempre foi: forte e independente. Jamais se vitimizou, jamais perguntou porquê, jamais praguejou contra a vida. As coisas, ela dizia, são como têm que ser.

E quando tudo começou a desmoronar, ela, cada vez mais magrinha e fraquinha, sem conseguir fazer quase nada, fazia questão de tentar fazer quase tudo. E é exatamente por isso, pela força e dignidade com que enfrentou a vida e a morte, que ela é o meu maior exemplo de força.

Porque foi pelo seu exemplo, de uma pessoa simples, que vivia na roça e viu tão pouco do mundo, que aprendi tanto da vida. Aprendi que as pessoas são iguais e merecem o meu respeito, aprendi a não apontar o dedo. Aprendi que ter mais não me faz ser mais, e que olhar os outros “de cima” só faz com que eu seja menor. Aprendi que tenho que dar o meu melhor todos os dias, e que, seja lá o que a vida me traga, eu tenho que encarar de frente, com força, com fé.

Aprendi que eu podia fazer tudo, e que o fato de ser mulher não deveria, jamais, ser uma limitação, e isso me deu uma liberdade enorme e um poder absurdo sobre mim mesma.

Foi olhando os passos dela que aprendi a acreditar na força que existe dentro de mim. E é lembrando e sentindo, com o coração, a sua firmeza, que eu tenho certeza que sim, eu sou mulher e posso tudo, e posso mais. Basta querer e começar a fazer. ♥

Agora quero saber quem foi a mulher mais forte que vocês já conheceram, contem aí!

Beijos, Ju♥

08.03.2015

A Incrível Geração das Supermulheres

Todos os dias são nossos, e devíamos ter por hábito celebrar a dádiva de ser mulher diariamente,  porque somos nós que geramos, cuidamos e nutrimos o mundo de amor. Nós somos incríveis sim, mas sobre isso já falei ano passado, lembram? Se não viu, trate de clicar aqui e se conscientize de tudo o que está escrito naquele post.

E esse ano, nesse dia especial, vendo o quanto estamos  sobrecarregadas, estressadas e altamente culpadas por não conseguirmos dar conta de tudo, quero pedir que vocês se polpem do fardo de serem super heróis.

Se antes só nos cabia o papel de mãe e dona de casa, hoje podemos tudo, o que é uma maravilha, mas uma maravilha que acaba, em muitos casos, se tornando uma prisão.

supermulheres

Prisão sim, porque por podermos ser tudo que quisermos, acabamos acreditando que temos que ser tudo que pudermos, o que é um absurdo, já que é humanamente impossível ser, ao mesmo tempo, uma mãe incrível, uma dona de casa das boas, uma esposa exemplar e uma profissional de sucesso, e isso sem falar da jornada de mulher maravilha pra conseguir dar conta do corpo, do cabelo, da pele, da cabeça, do humor e por aí vai.

Isso tudo é uma loucura, e gera uma quantidade de culpa enorme, porque jamais conseguiremos dar conta de tudo isso, com a perfeição que nos exigida (?),  de uma só vez.

O que eu quero dizer é que sim, nós podemos tudo, e fazemos tudo muito bem, mas isso não quer dizer que devemos ou temos que fazer/ser tudo, que não precisamos assumir todos os papéis e, assim,  nos sobrecarregarmos com tantas responsabilidades que acabem nos deixando esgotadas todos os dias.

Já “provamos” o que tínhamos que provar, é hora de simplesmente afastar a neurose da perfeição a aproveitar tudo o que conquistamos, aprendendo a fazer escolhas e a priorizar o que é realmente importante: nós mesmas, nossos sonhos, nossos anseios, a vida que podemos escrever todos os dias.

Você não precisa ser ” a mãe do mundo”, o super herói que dá conta de tudo. Você não precisa ser a “mulher maravilha” pra ser uma supermulher. Isso você já é!

Um dia lindo pra nós!♥

Beijos

Ju

O que você acha do JV?
Depilação Perfeita: o guia! 8 Dicas para escolher o sutiã perfeito! Mega Hair Saudável: 5 Dicas Certeiras Como ter mais qualidade de vida? Tenha pique extra já! Como acabar com a insônia? Rituais de Prosperidade pro Ano Novo Ceia da Virada pra um ano Incrível!