23.02.2018

Tire Um Tempo Pra Você… Sem Culpa!

Nunca fui de falar da minha vida pessoal, mas comentei no Instagram, ali perto do carnaval,  que as últimas semanas não foram emocionalmente fáceis pra mim, e que, por isso, precisava de um tempo.

Tempo pra ficar em silêncio, quieta, ouvindo meu coração. Pra ficar comigo, pra absorver e entender tudo que tenho sentido. Pra aprender a lidar com esses sentimentos e com tantos outros que surgiram.

E tudo isso sem pressa, no meu tempo.

E foi aí que percebi uma coisa que me deixou preocupada: a imensa maioria das mensagens que recebi, todas muito carinhosas, falavam que também precisavam (ou já tinham precisado) desse tempo, mas que se sentiam culpadas por isso.

Daí fiquei pensando no ponto em que chegamos, na loucura que é sentir culpa por, veja bem, sentir a necessidade de “dar um tempo”, de precisar de um tempo pra si mesma.

Percebem o quanto isso é triste?

tire um tempo pra você sem culpa juro valendo

Entendo perfeitamente que o mundo não para pra que a gente acalme a cabeça e o coração. Sei que “a máquina” não pode parar, que temos responsabilidades,  contas pra pagar, pessoas pra cuidar.

Mas se tem uma coisa que não tem como discordar é que nada na sua vida vai funcionar sem você, nada.

É bem como aquela historinha da máscara do avião: coloque primeiro a sua, porque  só assim você vai conseguir ajudar o outro. Não tem como ser diferente, entende?

A sua prioridade, nesse sentido, tem que ser você. E isso não é egoísmo, é autoamor, e é, também, instinto de sobrevivência.

A minha vida é muito diferente da maioria por muitos motivos, e um deles é que eu não sou só a pessoa Julliana. Eu sou, também, uma empresa. A minha vida é, de muitas formas, o meu trabalho. E não só eu, mas várias outras pessoas dependem disso.

Então sei o impacto que tem o tal do “preciso de um tempo”. Porque se eu, pessoa, me dou um tempo, o meu trabalho também para, e isso afeta não só a mim. E isso pesa. Muito.

Só que também sei que se não estiver bem, se não cuidar de mim por dentro e por fora, se não me der um tempo quando for necessário, a coisa não vai funcionar e em algum momento a coisa vai sair do controle de vez.

Mas isso é o que entendo hoje. Há uns 3 anos atrás, mais ou menos, era completamente diferente.

Só pra dar um exemplo, e aqui quem acompanha o blog desde o começo vai entender melhor: sempre fui muito obstinada, e trabalhei enlouquecidamente dia e noite, sem feriado, férias ou finais de semana porque queria que isso aqui “desse certo”.

Eu queria 1, 2, 3, 4, 5 milhões de visualizações de páginas por mês. E eu consegui. Virando noites, passando de todos os meus limites eu (junto com vocês!) fiz do Juro Valendo o blog de beleza brasileiro mais acessado do mundo (mostrei essa matéria da revista Exame aqui).

É lógico que isso me dá uma alegria imensa. Mas não faria o menor sentido se fosse fruto de autoexploração, de ir além do que posso, de passar por cima de mim, como já passei tantas vezes… Demorou, mas aprendi, e hoje sei dosar muito melhor as coisas, sabe?

Também queria escrever para revistas e sites de outros países, e tô escrevendo. Mas pra isso precisei reduzir o ritmo, reorganizar as coisas, engavetar projetos, dizer não a outras oportunidades, a coisas que eu também queria.

E não tem problema, tá tudo certo, porque (hoje) existe um limite que não ultrapasso, e ele se chama respeito.

Respeito pelos meus limites físicos e emocionais, pela minha saúde mental, pelo meu bem-estar, pela minha qualidade de vida.

Eu amo meu trabalho, quero fazer sempre mais, sempre melhor, e tenho muitos, muitos sonhos pra realizar. Muita coisa pra fazer acontecer.

Mas acima de tudo isso está o meu bem-estar, e isso não é negociável. Não mais.

Se isso significa que vou ganhar menos em determinado mês, que vou perder oportunidades porque, em algum momento, vou precisar de um tempo, que vou demorar mais pra realizar o que quero,  tudo bem, desde que eu continue inteira.

Porque sem isso, sem estar bem, de corpo, alma e coração, nada faz sentido.

Então, assim, você não tem que se sentir culpada por querer, precisar e tirar um tempo pra você. Todo mundo precisa em algum momento.

Isso não te faz pior que ninguém, não te deixa em falta  com sua família, seu parceiro, seus filhos, seu trabalho. Mas não fazer isso te deixa em débito com a pessoa mais importante da sua vida: você.

Portanto, pense primeiro em você. Ninguém vai fazer isso. Ninguém!

Ah, se quiser ler mais posts como esse é só clicar aqui, e aproveita pra participar do nosso grupo fechado no Facebook, o Mulher de 30, é muito legal!

Beijos, Ju♥

Bora papear mais? Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

22.02.2018

*Tendências Outono-Inverno 2018: As Escolhas da AMARO

O verão já está se despedindo, e aí começam minhas estações preferidas do ano pra tudo, inclusive para escolher as roupas mais lindas! Então vamos começar com as tendências outono-inverno 2018 na AMARO, né?

Adoro as peças deles pela beleza, qualidade e acabamento, amo a rapidez da entrega, e desde a primeira vez que comprei lá, anos atrás, jamais tive problemas.

Aliás, tenho um, e ele não tem solução: todos os dias que “entro” no site tem coisas novas e fico querendo tudo! hahaha

tendências outono-inverno 2018

Porque sim, eles lançam peças novas o tempo todo, e pra essa primeira coleção de inverno (muitas outras virão!) eles apostaram nas principais tendências internacionais.

Tendências Outono-Inverno 2018 Amaro

A cartela de cores não poderia ser mais a minha cara: atemporal e clássica, com tons mais sóbrios de verde militar, vinho e cinza, combinados com nuances um pouco mais vibrantes de vermelho e magenta, por exemplo.

Vi também poá, o grande hit da temporada, e também estampas florais (sim!)

tendências outono-inverno 2018

Em relação as peças, temos uma bela releitura da camisa cowboy, que vem com uma estética mais clean, e apenas alguns detalhes metalizados, nada caricato, sabe?

Seguindo o revival dos anos 80 e 90 que vimos nos últimos desfiles, temos muitas opções de peças com uma estética mais urbana, com blusas e jaquetas de shapes oversized, além das calças de cós alto com abotoamento frontal.

Claro que as padronagens clássicas, como o xadrez,  não poderiam faltar, e elas voltaram com tudo.

tendências outono-inverno 2018

As botas, minha paixão eterna, têm uma pegada western em verniz ou então recortes western no salto kitten. Quero uma de cada cor, pode ser?

O mais legal é que a AMARO consegue mesclar as tendências do momento, com peças da estação, e roupas clássicas, então dá pra encontrar tudo lá, de roupas, a sapatos, bolsas, acessórios de todos os tipos, lingerie (assim que as minhas de renda chegarem mostro pra vocês, são maravilhosas!), moda praia, festa (tem muitos vestidos de festa) e fitness.

tendências outono-inverno 2018

Amo as calças de lá, principalmente as de cintura mais alta, porque alongam e têm um caimento muito bom, assim como os blazers, e nesse momento de xodó com saia rodada, achei muitas opções lindas lá!

Outono-Inverno 2018: no que investir?

Eu gosto muito de peças atemporais, porque não são datadas e dá pra usar sempre, né? E achei a coleção nova cheia dessas peças que, mesmo sendo tendência, são clássicas.

Ou seja, não é modinha que dura 3 meses, são peças pra vida toda, que a gente pode ir atualizando com um detalhe ou outro, misturando com novas peças e usando de formas diferentes.

tendências outono-inverno 2018

Sobre isso, aliás, já aviso que o Achados de Fast Fashion voltou, e o Matemática Fashion também, porque dá sim pra encontrar roupas de qualidade por ótimos preços, e já passou da hora da gente apostar em peças-chave pra acabar de vez com essa história de que não tem o que vestir, mesmo com o armário lotado.

Aproveitem e deixem nos comentários quais peças vocês querem que eu encontre em lojas de fast fashion, combinado?

E passem lá na AMARO pra ver as novidades, tem muita coisa linda por preços super bons!

Beijos, Ju

Bora papear mais? Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

*Publicidade

22.02.2018

Beleza Aos 50, Por Júlia Pinheiro

Sempre bati na tecla de que beleza não tem idade, e trouxe hoje uma pessoa muito especial pra falar um pouquinho sobre isso com a gente: a apresentadora Júlia Pinheiro!

A Júlia apresenta o Queridas Manhãs na SIC, lá em Portugal, um programa matinal diário, é escritora, autora de um site que leva o seu nome (clica aqui pra ver, tem muita coisa legal!), e uma mulher que, além de linda, é incrível!

Com vocês, a Júlia…

beleza aos 50 júlia pinheiro

Beleza aos 50 (e depois também!)

Há uns meses, deparei-me com títulos como este na mídia portuguesa:  “Júlia Pinheiro mostra boa forma em biquíni” (revista Lux e Caras).

A imprensa cor de rosa tinha decidido publicar as fotos que partilhei no meu Facebook e site, de biquíni, durante as minhas férias de verão. A primeira reação foi de surpresa e positiva: aos elogios das imagens que fizeram notícia, sucederam-se tantos outros lisonjeiros comentários de seguidores.

A foto “pegou” e encorajou outras figuras públicas pós-45/50 a “aparecerem” e a fazerem repensar as nossas ideias e ideais de beleza. Eu chamei-lhe o empowerment das grannies (empoderamento das avós), aproveitando o fato de que na altura estava prestes a ser avó pela segunda vez.

Mas esta revelação e a presença de mulheres mais maduras – ou fora dos padrões habituais de beleza – tem vários outros “nomes”.

Um deles chama-se Sandra Passos e vem precisamente do Rio de Janeiro. Descobri-a há dias, num jornal internacional. Inspira-me esta história da outrora catadora de lixo nas favelas e hoje Cinderela, proprietária de uma agência de modelos na China, que quer mostrar que a moda não é apenas sinônimo de mulheres altas, loiras e esculturais.

Sempre que se fala de beleza, nunca consigo desligar-me também do nome Zemeenah Rossi, esta modelo (que nunca envelhece e) que aos 60 anos participou do lançamento de uma coleção de roupas de banho.

A beleza tem vários sinônimos e enquanto espectadora do mercado, apercebo-me de que as marcas estão atentas àquela que é uma das 10 tendências mundiais de consumo, segundo o Relatório Euromonitor International: Ageing.

Aqui apenas entre nós mulheres, e resumindo: “Você pode ser maravilhosa aos 30, charmosa aos 40, e irresistível para o resto da sua vida” – Coco Chanel.

O que você acha do JV?
Ju, amo seu blog!!! suas dicas!!! vc é maravilhosa com sua opinião honesta!!! Sempre quando quero comprar algum produto venho aqui pra ver o que…