Vizcaya
11.05.2016

Cabelo é Matéria Morta e Nada Funciona! Será?

A coisa não é bem assim...

Ontem recebi e-mail de uma leitora dizendo que ela havia lido que cabelo é matéria morta e, por isso, nada que a gente use funciona de verdade, que é tudo maquiagem, tudo “ilusão”, e resolvi fazer um post sobre isso porque tenho certeza que muita gente já leu isso por aí e pode acabar confundindo as coisas.

Sim, cabelo é matéria morta, ou melhor, é formado por fibras oriundas de células mortas, mas isso não significa que ele não precise de cuidados e, mais ainda, que nada funcione. Mas, vamos por partes e com calma que o santo é de barro! rs

Cabelo é matéria morta: Começando do começo

O fio do cabelo é formado basicamente por lipídeos, água e cerca de 90% de proteínas, que tem por “matéria-prima” os aminoácidos, aqueles que a gente encontra nos produtos capilares de uso tópico, como shampoos e máscaras, por exemplo, e nos suplementos de uso oral, como o Pill Food e o Pantogar, dentre outros.

cabelo é matéria morta juro valendo

Partindo do pressuposto de que grande parte do fio do cabelo é formado por aminoácidos, me parece lógico que eles são essenciais para a saúde e beleza dos fios, certo? Mas, se o fio do cabelo está “morto” como é que os aminoácidos e as outras substâncias podem ajudar o cabelo?

Por algumas razões bem simples, mas, principalmente, porque o bulbo capilar, a raiz dos fios, não é matéria morta, ela está vivinha da Silva, e é por isso que sempre digo aqui que é preciso cuidar da raiz, e que a beleza e saúde dos fios começa de dentro para fora.

Assim, a reposição de aminoácidos e outras substâncias que o cabelo precisa deve sim ser feita, e quanto mais danificado estiver o cabelo maior será a perda de nutrientes, sobretudo das proteínas, então é lógico que é preciso repor isso aí para ajudar na recuperação dos fios.

Tá duvidando? Experimenta, em um corte químico, por exemplo, não usar nada, não tratar de jeito nenhum, porque cabelo é matéria morta e não vai adiantar nada mesmo, e depois me diz o resultado… rs

Claro que, no caso dos aminoácidos, vitaminas e minerais, a suplementação por via oral é mais eficaz, porque o cabelo é “alimentado” de dentro para fora, e isso, caso sua dieta seja pobre em nutrientes,  precisa ser feito de forma constante, sempre com orientação médica.

Contudo, isso não invalida os tratamentos tópicos, porque o aspecto dos fios melhora muito com os produtos cosméticos, a depender dos ativos utilizados, do peso molecular de cada um, dentre muitas outras coisas.

Já no caso dos óleos e manteigas vegetais, o tipo de nutrição proporcionada, que é a reposição lipídica,  é bem diferente da “nutrição” feita pela alimentação correta e, também, pelos suplementos, mas isso não significa que eles não funcionem. Funcionam sim, e muito bem, é só testar pra confirmar! Como formam uma camada de proteção ao redor dos fios, eles impedem a perda de água, o que mantém o cabelo hidratado, além de ajudar na lubrificação, o que, claro, faz diferença na aparência do cabelo.

E sim, pra ter e manter bons resultados com qualquer produto é preciso que o uso seja constante, porque me parece óbvio que se você para de usar um produto ele não vai mais proporcionar benefícios, né?

E não, isso não significa que ele só estava maquiando (alguns realmente não tratam, só maquiagem, mas a gente proseia sobre isso em outro post), porque, por exemplo, se você parar de se alimentar o seu organismo não vai continuar funcionando da mesma forma, se você não der o que ele precisa ele vai começar a dar sinais de que tem algo de errado, e isso não significa que o alimento “não funciona”.

Funciona sim, mas funciona enquanto você o consome, e se você para de consumir é impossível que ele apresente benefícios. Com os cosméticos, pra mim, a lógica é a mesma, e não se pode esperar que você use uma coisa uma vez na vida e que ela, por causa disso, continue funcionando para todo o sempre, apenas porque você usou em determinado momento.

Ou seja, o fato de o cabelo ser matéria morta não significa que ele não precisa de cuidados, que nada pode ser feito, que nada funcione de verdade. Ao contrário, precisa sim e funciona sim, só é preciso ter noção do que esperar de cada produto, seja ele de uso tópico ou oral, e saber que os cuidados precisam ser constantes, porque sem manutenção nada dá certo, nada!

Beijos, Ju♥

Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo

Vizcaya
11.06.2014

Kit Óleo Extraordinário Elseve – L`Oréal!

Dia desses, em meio a umas comprinha numa farmácia aqui perto de casa, encontrei este Kit que é da mesma linha daquele Óleo Extraordinário da Elseve e que vocês devem conhecer bem, pois este óleo foi super comentado quando lançado aí no Brasil. Fiquei louca quando vi né? Já conhecia (apesar de não ter usado ainda) o óleo e já tinha lido várias resenhas à respeito, mas nunca tinha escutado falar do Shampoo, Condicionador e do Hairpack. Duas semanas de uso e posso dizer que estou in love!

linha óleo extraordinário

Os rótulos estão escritos em Nihongo (idioma japonês), portanto fica bem complicado entender 100% do que está escrito, mas pelo que deu para entender, assim como o Óleo Extraordinário, eles têm em sua formulação óleos de 6 diferentes tipos de flores e a promessa é de infinita suavidade e brilho excepcional. A questão é que o cabelo derrete, sabe? E o cheirinho também é muito bom, super suave.

linha óleo extraordinário

O Shampoo é transparente e de textura bem densa, porém limpa o cabelo com bastante suavidade. Já o condicionador e o Hairpack são amarelinhos e ligeiramente perolados, quase que dourados, e o efeito dos dois quando aplicados nos fios é o mesmo, fazem o cabelo derreter. Depois da lavagem eu tenho a sensação de que o cabelo “reduz” no volume, e o brilho e maciez ficam muito evidentes. As embalagens do shampoo e do condicionador são iguais, super resistentes e tem o bico dosador, o que ajuda muito quanto ao desperdício do produto, e contém 440g em cada frasco, já o Hairpack é tipo uma bisnaga e contém 180g. Eu paguei pelo Kit aqui no Japão 5,184 yenes, o que equivale a, mais ou menos, 112 Dilmas.

linha óleo extraordinário

Quem aqui no Japão já testou este produto? E o que acharam?

Meninas do Brasil, espero que este Kit chegue em breve aí pra vocês!

Beijo grande

Si Yoko

24.04.2014

Meu Cabelo: Corte e Cor

Semana passada postei algumas fotos do meu cabelo lá no insta (segue lá: @JuroValendo)  e no Face e muita gente perguntou da cor e do corte, daí resolvi fazer um post bem explicadinho, certo?

Começando do Começo

A cor natural do meu cabelo é castanho escuro mas faço descoloração (Pó Descolorante + Ox de 40 vol) e matizo com o Biocale há muitos anos. Acontece que anos de descoloração, retocando a cada 60 dias, acaba estragando o cabelo, e depois do corte químico que ele sofreu no final de 2012 a coisa complicou, porque ele afinou muito, e mesmo já tendo acabado de tirar toda a parte que tinha progressiva (sim, eu usava e defendia, até que quase fiquei careca…), o cabelo mudou e nada melhorava de forma significativa a questão do “afinamento”.

Ju Lopes

Por causa disso, decidi, em dezembro, que iria escurecer os fios pra poder tratar sem ter que me preocupar com descoloração e seus danos. Aí vem a pergunta: escurecer trata os fios? Claro que não, escurecer significa dar um tempo na descoloração, que agride muito o cabelo, e nesse tempo tratar de forma intensa.

Também estava bem agoniada pra mudar a cor do cabelo (já tive váriasss cores, e mostrei nesse post aqui), mas não conseguia decidir o que queria, sabe? Daí achei que começar de novo, partindo do “zero”, com a base neutra.

A Cor

A cor que uso quando preciso escurecer ou fazer inversas é a 6.7, mas não tinha ela em casa e sou ansiosa, daí joguei a 7.0 da Soft Color (da Wella). Nesse post aqui expliquei todo o processo, inclusive de pré- pigmentação.

Ju Lopes

Acontece que comecei a ficar com a “mão coçando” pra dar uma iluminada, mas sem tinta nem descolorante, só uns reflexos mais naturais, sabe? Pra fazer isso usei a Biondina, um clareador natural, algumas vezes. Já expliquei tudo sobre esse processo nesse post aqui, e é bom dar uma olhada pra entender melhor.

A Biondina não “pega” na minha raiz, mas ilumina bastante o comprimento e, principalmente, as pontas, daí o efeito é de californianas. Como meu cabelo, por baixo da tinta, era descolorido, ele vai desbotando um pouco, e até por isso as pontas ficam ainda mais claras, mas lógico que a Biondina fez uma diferença boa.

O Corte

Quero muito deixar meu cabelo enorme novamente, mas não vejo sentido em ter o cabelo grande e feio, e as pontas do meu cabelo estavam bem finas e feias, daí achei que deveria logo cortar, já que era o restinho da progressiva (achei que já tivesse cortado tudo da última vez, mas o cabeleireiro disse que não…).

Ju Lopes Juro valendo

Tirei coisa de “5 dedos” do comprimento e ao invés de fazer só o degradê na lateral, pedi umas camadas bem suaves, em pouca quantidade, e só na lateral, pra dar movimento, sabe? A “franja”começou na altura dos lábios, porque assim não tenho muito trabalho pra ajeitar.

No post de amanhã explico certinho tudo o que usei e fiz pra tratar os fios e recuperá-los nesses quase 4 meses, tá? Agora em maio vou clarear de novo, mas ainda tô procurando uma cor que me agrade!rs

Fico estranha de cabelo escuro, né? Eu acho!

Beijos

Ju

 

O que você acha do JV?
Bom dia , eu não conhecia o blog mais entrei hoje e adorei , tem muitas dicas , orientações, e as explicações não são pela…