29.10.2015

A Infelicidade é contagiosa: cuidado!

Muito cuidado mesmo!

Estados emocionais, pra mim, são tão contagiosos quanto as doenças, só que mais perigosos, porque minam o nosso emocional e esgotam a nossa energia sem que a gente sequer perceba, e a infelicidade é um dos que mais quero longe de mim, porque sim, a infelicidade alheia te contamina, afeta teu bem-estar, tua alegria, teu ânimo e acaba por tomar conta de você.

Essas palavras podem soar egoístas num primeiro momento, mas é só raciocinar direitinho pra  perceber que faz todo sentido, e se ainda achar que é egoísta, quero dizer que o egoísmo altruísta é essencial na vida, para desesperos dos ingênuos, porque sem ele, aliás, é impossível permanecer vivo, que dirá viver.

infelicidade é contagiosa

Quando falo de infelicidade, não estou falando de pessoas que estão passando por problemas reais, que tiveram perdas de diversos tipos, que têm doenças, que têm motivos para estarem momentaneamente infelizes. Eu já tive perdas, e não foram poucas, e sei bem que nesses momentos a gente não é feliz, que a tristeza toma conta e que o luto precisa ser vivido, coisa que já falei, aliás, nesse post aqui.

A diferença é que eu, como a maioria das pessoas, já estive infeliz em alguns momentos, mas não fiz pacto com a infelicidade, nem fiz dela a minha morada. Sim, estar é bem diferente de ser, e é preciso não só entender, mas saber diferenciar isso.

E tem gente, e não é pouca,  que não só é infeliz, mas que cultiva a infelicidade, que se alimenta dela e a espalha pelo mundo, como uma verdadeira praga. E o pior é que, não raras vezes, é difícil distinguir, sobretudo quando a gente não conhece muito, os que estão realmente passando por momentos difíceis, e merecem todo o nosso apoio, com aqueles que são, em si, parceiros da infelicidade, porque o infeliz contumaz veste, o tempo todo, a carapuça da vítima.

E eles não querem ajuda, querem platéia, querem alguém pra confirmar o quanto são injustiçados e sofredores. Claro que seria ótimo se conseguíssemos trazer essas pessoas pro outro lado, pro lado da felicidade, mudar seus padrões, mas o que acontece, e falo isso por experiência própria, é justamente o contrário: nós, sem sequer notarmos, somos arrastados para esse mar de infelicidade, e ai de quem não enxergar isso a tempo!

infelicidade

É preciso entender que os infelizes por vontade própria não passam de vampiros emocionais, coisa que, aliás, já falei por aqui uma vez, e enquanto você estende a mão, com compaixão, para ajudar, eles sugam tudo de bom que há em você e conseguem te deixar a cada dia pior.

Há quem diga que isso é besteira, que as pessoas que convivemos não nos afetam tão diretamente assim, mas concordo plenamente com Clarissa Pinkola Estes quando diz, no livro Mulheres Que Correm Com Os Lobos (falei sobre ele nesse post aqui), que “a escolha criteriosa de amigos e companheiros, para não falar nos mestres, é de importância crítica para continuar consciente, para continuar intuitiva, para manter o controle sobre a luz incandescente que vê e sabe.”

E é por isso que, hoje, acho que a única solução é se afastar, numa espécie de “quarentena”, pra evitar perda de energia, de tempo e de vida, porque as pessoas com as quais convivemos influenciam não só no nosso estado de espírito e no nosso emocional, mas na pessoa que somos a cada dia, e a pessoa que eu quero ser, pra mim e pro mundo, não é alguém que espalha sombras, que é feita delas, mas alguém que espalha luz, que é feita de luz, pra que o máximo de pessoas possa ser “contaminada” com essa luz e a absorva, numa espécie de “osmose emocional”.

E você, o que quer? É bom pensar nisso!

Beijos, Ju♥

Escreva seu comentário

* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça no comentário? Clique aqui.
9 comentários
  1. Pri  29/10/2015 - 15h26

    Adorei a materia , e é verdade mesmo, gente infeliz te contamina, já passei por isso e disso hoje quero distância, alias quero distãncia de gente infeliz rs

  2. Renata  29/10/2015 - 18h38

    É por isso que sempre falo, o ser humano me dá medo. É o único ser que gosta de aparecer, que faz sacanagem por prazer. Temos que nos blindar.

  3. Vivi  30/10/2015 - 09h25

    Ju, amo de paixão o seu blog! Sempre acompanho, mas é a primeira vez que comento.
    Me emocionei ao ler esse texto, retratou exatamente o momento pelo qual estou passando, cercada por esses vampiros emocionais que me tornaram uma pessoa que não sou…Acho que enfim despertei!
    Sábias palavras as suas! Parabéns pelo blog e pela pessoa que é!
    bj

  4. Caroline  30/10/2015 - 10h19

    Linda a msg. Mas e quando a pessoa que mais reclama e mais te deixa pra baixo é sua mãe? Como fazer?

    • Ju  30/10/2015 - 11h00

      Carol, é complicadíssimo, te entendo! Minha mãe também é das reclamonas e sabe o que eu faço? Coloco um fone de ouvido…hahahaha
      Já entendi que não dá pra mudar os outros, a gente só pode mudar a forma como a gente reage, sabe?

  5. Danny  30/10/2015 - 18h24

    Eita, Ju! Faz uns dias que não “venho” aqui e quando “chego” levo um “sacode”! É isso mesmo, pessoas infelizes nos arrastam com todas as suas forças para o mesmo estado… Infeliz! Estava, até agora, me deixando ser refém de alguém assim! Obrigada,Ju, obrigada de coração por me “abrir os olhos”, por me trazer à realidade, por me impulsionar e ajudar a voltar à luz. Beijo nesse coração lindo.

  6. Cristina  02/11/2015 - 11h44

    Ju, descobri há pouco seu Blog e viciei! O meu ex é meu vampiro emocional. Preciso desapegar e aprender a dizer não quando o mundo dele desmorona e ele vem recarregar as energias em mim. Ele tem alguém e faz isso travando minha vida, se aproveita porque sab que me importo com ele. Li sobre tudo aqui, todos assuntos do Blog, pensamento muito similar. Gostei!

  7. Aline Reis  03/11/2015 - 09h56

    É exatamente isso Ju! Esse tipo de gente “suga” as nossas energias e nos colocam até mesmo em situações infelizes como as que eles mesmos passam…e nos fazem acreditar que aquilo acontece com a gente também, sendo que não tem absolutamente nada haver o seu problema com o problema do outro! Estou tentando blindar essas pessoas da minha vida, mas por alguns fatores é complicado manter o total afastamento. Mas tento! rsrsrs Vou compartilhar o seu texto ok? Bjos…adoro o seu blog.

  8. Rosana  24/04/2016 - 20h34

    Por isso que me afastei de todo mundo, pois ninguém é obrigada a aguentar minha infelicidade, fico quieta na minha e vou levando a vida…, não encho o saco de ninguém.

O que você acha do JV?
Acompanho há anos, é meu blog queridinho, com certeza ! <3 Não compro nada para cabelos ou pele sem antes ver se a Jú já…
As leitoras mais incríveis da vida
    Quer ver a sua foto publicada aqui no blog?
    Poste no instagram uma foto com a hashtag
    #JuroValendo