Vizcaya
22.05.2013

Eu Nunca Fui Magra. E Isso NUNCA Foi Um Problema!

Pra mim, muito mais importante do que falar de produtos de beleza é falar sobre autoestima, porque o que eu mais vejo é o quanto nós, mulheres, nos depreciamos, o quanto nossa autoestima é baixa e o quanto deixamos que nos digam que não somos boas o suficiente por não sermos magras, por não termos o cabelo assim ou assado e por aí vai. Pior de tudo, nós acreditamos nisso.

Até um certo período da vida eu tive sim problemas de autoestima, eu era insegura, como quase todo mundo, mas o engraçado é que isso nunca esteve relacionado com o meu peso, porque magra eu nunca fui e, sinto informar, jamais serei por uma razão simples: a minha estrutura óssea é grande, é larga, e isso não tem como mudar.

auto amor, auto estima

Quando digo que minha autoestima nunca esteve relacionada com meu peso é porque nunca me depreciei por causa disso e nunca permiti que ninguém o fizesse, porque, aliás, uma coisa é certa, a gente está onde a gente se coloca, onde a gente se permite, então ninguém vai falar nada de você se você não permitir. E eu nunca permiti.

Eu não sei exatamente como e quando isso aconteceu, mas conheço poucas pessoas nessa vida tão seguras quanto eu, e isso não tem nada a ver com o externo, isso vem de dentro. Isso é auto valorização, ou, como costumo dizer, “autoamor”. Não importa se eu não sou magra, não importa se a minha pele não está perfeita, não importa se o meu cabelo não é isso ou aquilo, nada disso importa, porque eu aprendi a me amar exatamente como eu sou e, sinceramente, a opinião de quem quer que seja não muda em nada isso, porque o que os outros acham de mim é problema deles e não meu. E o engraçado é que quando a gente age assim, as pessoas começam a nos enxergar de outra forma… É, você “se sabe” bonita de tal forma que os outros te enxergam do mesmo jeito!

Minha mãe fala  muito, em tom de alerta,  que eu sou “autossuficiente”  demais, que eu deveria ouvir os outros, mas não acho que seja isso… Quem me acompanha a mais tempo sabe que eu tenho um lado espiritual muito forte, que isso é essencial pra mim, e uma das coisas que a espiritualidade me ensinou é que nada pode te afetar se você não permitir que isso penetre em seu interior. Então, não é questão de ser ou me achar autossuficiente, é só não permitir que a opinião de terceiros  moldem a forma como eu me sinto. É fácil? Não, mas é  libertador.

Ju Lopes, Juro Valendo

O intuito do post é só mostrar que vocês precisam se amar, se valorizar e não permitir jamais que ninguém “diminua” vocês pelo que quer que seja. Vocês são maravilhosas exatamente do jeito que são, e se quiserem melhorar algo, será por vocês e não pela opinião de terceiros.

E, outra coisa, nenhum produto, seja de cabelo, de beleza ou de maquiagem, levanta a autoestima de ninguém. Então, antes de sair comprando o mundo (e se embolando no cartão de crédito), invista em você, no seu interior, e enxergue a mulher linda que você é. Sim, porque você é, só anda meio cega!

Tenho alguns livros bem legais sobre o tema e essa semana ainda começo a compartilhar aqui, tá?

Beijos

Ju

Vizcaya
10.05.2013

O Melhor Presente Pra Sua Mãe: Um Banho de Autoestima

É engraçado como muitas vezes a gente esquece que nossas mães, assim como nós, são mulheres. Mulheres, não apenas mães. E como não nos damos conta disso, não percebemos muito bem a “quantas anda” a autoestima dela, o “autoamor” dela, se ela anda se cuidando ou não.

O dia das mães está chegando, e uma coisa que eu noto é que a grande maioria das pessoas presenteia a mãe com “coisas pra casa”. Ora, coisa pra casa é pra casa, não é pra mãe. Ela vai gostar? Claro, talvez seja algo que esteja precisando e é sempre bom morar em uma casa confortável e aconchegante. Há quem vá além e presenteie com roupas, sapatos, perfumes ou kits, como da Natura e do Boticário, por exemplo.

autoestima juro valendo

Mas vocês já pensaram em pegar a mãe de vocês e “dar um banho de autoestima”?

Tempos atrás fiz isso com minha mãe… Acho que pela falta de tempo, pelo desgaste do dia-a-dia e por dezenas de coisas que não tenho como avaliar, ela foi “esquecendo” dela mesma, não como profissional, mãe, filha ou esposa, mas como mulher.

E isso refletia demais no comportamento dela, porque percebia que ela se sentia insatisfeita e insegura. O que fiz então? Primeiro levei em um salão para cortar o cabelo e fazer umas luzes bem suaves para iluminar a expressão. Aproveitei que ela já estava lá e tratei de fazer tratamento completo: unhas, massagem, limpeza de pele, sobrancelha  e tudo o mais. Feito isso, maquiagem neutra e suave, e compras.

auto estima feminina Juro Valendo

Não comprei “o mundo”, só mostrei quais roupas poderiam valorizar o corpo que ela tinha e quais ela deveria evitar. Expliquei o que ficava bem com o que, quais peças ela precisava ter e dei fim na grande maioria das roupas que ela tinha no armário, incluindo bolsas e sapatos, porque não eram roupas que valorizavam ela como mulher.

Quando ela ficou “pronta”, corri pra tirar algumas fotos, dessas de estúdio, e mandei colocar em quadros bem grandes no quarto dela, pra que ela pudesse ver a mulher bonita que ela é, mesmo não sendo mais tão jovem, não tendo a pele tão firme, tendo linhas, rugas e outras coisinhas mais.

Mas o que isso tem a ver com autoestima? O que algo externo tem a ver com algo interno? Às vezes, tem MUITO a ver, porque o que noto que é que muitas mães param de se enxergar como mulheres, elas acham que têm que cumprir e “encarnar” aquele “papel”, e vão se deixando de lado, o que é um absurdo.

auto estima, autoestima feminina, antes e depois

Eu só queria mostrar pra ela que bastava um tantinho de cuidado pra que ela pudesse se enxergar melhor e, mais importante ainda, se sentir melhor, e garanto que o efeito foi surpreendente.

Hoje ela se cuida muito mais, a pele está muito melhor, a maquiagem está “em dia”, o cabelo está bonito, ela está mais vaidosa, se arruma melhor, tem muito mais noção do que vestir ou não e se sente muito mais segura e muito mais bonita.

Acho que mostrar pra sua mãe que, além de mãe, esposa, dona de casa e profissional, ela é uma mulher, que “embaixo” de todos esses papéis ainda existe uma mulher, é o melhor presente que você pode dar.

Beijos

Ju

P.s: Relutei em colocar as fotos do antes, porque é um exposição, mas ela disse que poderia, porque pode servir de estímulo para as pessoas.

09.05.2013

“Autoamor”: Como Anda o Seu?

Minhas meninas, como estão hoje? Acordei  com uma lambida quente e molhada no cabelo, dada por Ozzynho, é claro! rs

O post de hoje é um pouco diferente, mas não menos importante, talvez seja até mais, que os outros. Espero que gostem!

Eu acho muito legal falar de maquiagens, de cosméticos, de cabelos, de moda e de tudo que a gente fala aqui no blog, mas acredito piamente que se falta o que eu chamo de “autoamor”, nenhuma dica, nenhum truque e nada do que seja indicado, e até comprado pela pessoa, vai adiantar.

“Autoamor”: Como Anda o Seu?

"Autoamor": Como Anda o Seu?

Se você não se ama, você não se valoriza, você não se respeita, você não se enxerga como deveria: como a pessoa que, independente de peso, idade, tamanho do manequim, quantidade de marcas, rugas, celulites ou o que quer que se seja, é digna de ser amada, respeitada e acarinhada, primeiro por você mesma, e depois pelos outros.

Sim, independente de como estejamos nesse momento, nós somos maravilhosas e únicas, e essa é uma certeza que precisa existir dentro de cada uma, e se isso acontecesse muitas situações poderiam ser evitadas, porque quem se ama não aceita ser maltratado, diminuído, humilhado… Quem se ama sabe exatamente o seu valor, e é isso que importa.

"Autoamor": Como Anda o Seu?

Que ótimo ter uma pele sem marcas, um corpo perfeito e um cabelo divino. É ótimo, mas não é garantia de nada, nem de felicidade e muito menos de”autoamor”. E é preciso lembrar que o tempo, que é implacável,  leva tudo isso… Aos poucos a pele deixa de ser firme, as rugas aparecem, as extremidades crescem, os dentes amarelam, os fios ficam ralos e sem vida… Quando isso acontecer, e vai acontecer, você vai deixar de se amar? Porque se a resposta for sim, você está se “amando”, se é que estar, pelos motivos errados.

A gente deve se amar pelo que a gente é, e isso é interno, e  não há tempo que apague. Chega-se aos 100 anos, se for o caso, tendo-se a certeza do quão maravilhosa e magnífica se é, porque essa é a verdade.

"Autoamor": Como Anda o Seu?

Ame-se, todos os dias, todos os segundos do seu dia, pelo ser que você é , e só assim, só quando isso acontecer, é que você poderá, de verdade, ser amada por quem quer que seja.

Além disso, por mais clichê que seja, e é, beleza vem de dentro, é luz que irradia e parece tomar conta das pessoas ao redor. Já notaram que as pessoas que a gente acha mais bonitas não são aquelas que são exatamente perfeitas, mas sim aquelas que, não se sabe exatamente o motivo, parecem irradiar algo de bom? É “autoamor”, é confiança em si mesma mesma, é auto-estima no topo, e isso, como já disse antes, nada tem  a ver com  o externo.

Pensem nisso!

Beijos

Ju

O que você acha do JV?
Eu acho esse blog maravilhoso. A Ju fala de tudo com muita emoção, muito carinho e ao mesmo tempo muita verdade, muita seriedade. Isso é…