Vizcaya
18.01.2015

Livro da Semana: Você Pode Ser Feliz Sem Ser Perfeita

Alguém aqui sabe qual é a sensação de se cobrar tanto que o estômago começa a “queimar”? Eu sou assim. Não é que eu ache que “nada está bom”, é que eu acredite ‘que “tudo pode melhorar” e busque essa melhora o tempo todo.

Isso é bom porque não me acomodo, mas é ruim por gerar um grau bem alto de ansiedade. E ó, lidar com isso não é fácil!

você pode ser feliz sem ser perfeita

Nunca me cobrei perfeição, porque nunca acreditei nela, mas me cobro a melhora constante, e foi por isso que, uns 3 anos atrás, comprei o livro “Você pode ser feliz sem ser perfeita”, meio assim por acaso.

Lembro que na época li e gostei, mas não fiz o que geralmente faço, que é reler com calma pra absorver melhor o que o livro tem a dizer, sabe? Daí, arrumando meus livros essa semana, achei “o amarelinho” e coloquei por perto pra reler e achei que tem uns ensinamentos valiosos pra nós.

você-pode-ser-feliz-sem-ser-perfeita

Valiosos porque sim, nós, de um jeito ou de outro, nos cobramos muito. Tentamos ser mulheres perfeitas, amigas, perfeitas, filhas perfeitas, namoradas/esposas perfeitas, mães perfeitas, profissionais perfeitas e é lógico que isso é inviável, porque mesmo sendo super mulheres (nós somos, acreditem!), nós não somos ninjas, né? rs

E como não conseguimos ser tudo isso ao mesmo tempo, ficamos cheias de culpa, com aquela velha sensação de que “não fazemos nada direito”. Associado a isso tem a concepção errada de que pra ser feliz tem que ser perfeita (ahhh, o corpo perfeito, o emprego dos sonhos, o príncipe encantado, a vida de comercial de margarina…), o que é outra furada, porque perfeito ninguém é, mas podemos (e devemos!) ser felizes mesmo assim.

você pode ser feliz sem ser perfeita

O que o livro faz é, de forma simples e descomplicada, apresentar técnicas e testes que ajudam a entender tudo isso, a criar metas mais realistas, a ter expectativas mais razoáveis e, de certa forma, reformular um pouco a nossa forma de pensar.

São várias as histórias e depoimentos presentes no livro, o que faz com que a gente se identifique com muitas daquelas situações. Pode parecer maluco, mas saber que outras pessoas passam pela mesma coisa dá um certo alívio, sabe?

você pode ser feliz sem ser perfeita

Enfim, é uma ótima leitura pra quem se cobra demais (e/ou cobra dos outros), pras perfeccionistas de plantão e pra quem se sente o cocô do cavalo do bandido por não ser a perfeição encarnada!

Ele é da Sextante e custa R$23,66 na Saraiva. Alguém já leu? Indicam algum outro livro desse tipo?

Beijos

Ju

Vizcaya
09.01.2015

Livro da Semana: Simplesmente Irresistível, Rachel Gibson

Simplesmente Irresistível é o terceiro livro que leio da Rachel Gibson, e se você gosta de leitura leve, engraçada e que “prende” do início ao fim, esse livro é pra você!

Sério, esse é o tipo de livro que indico de primeira pra quem não gosta de ler, porque é um romance daqueles que a gente vai comendo as páginas pra chegar no final – totalmente previsível – e “ver” o que vai acontecer. Pra quem tá afim de uma leitura leve, que flui fácil, só pra desanuviar (do baianês: espairecer, distrair) mesmo, esse é o livro certo!

simplesmente irresistível

Olha o resumo:

” A belíssima Georgeanne deixa o noivo no altar ao perceber que não pode se casar com um homem velho o suficiente pra ser seu avô, mesmo riquíssimo. O astro de hóquei John Kowalsky, sem saber, ajuda-a a escapar e só percebe que está ajudando a noiva de seu chefe quando já é tarde. Os dois passam a noite juntos, mas no dia seguinte John dispensa Georgeanne, deixando-a de coração partido e sem rumo. Sete anos depois os dois se reencontram e John fica sabendo que  que sua única noite de amor produziu uma filha, de cuja vida ele quer fazer parte. A paixão dele por Georgeanne renasce, mas será que ele vai arriscar, outra vez, a incorrer na cólera do seu patrão? E ela? Vai aceitá-lo depois de ter levado um fora dele?”

Por aí dá pra ver que a coisa é meio babado, confusão e gritaria né? A Georgeanne do início do livro é engraçada, faladeira e meio sem noção, e isso já torna a história divertida. Ah, ela ter fugido da igreja com um vestido alguns manequins menores também!

simplesmente irresistível

Já John é o típico mocinho cativante: meio turrão, mas um turrão do bem, sabe? Após  7 anos os dois estão mais amadurecidos e vivem outro momento, mas o livro segue com a mesma pegada de romance leve, um tiquinho apimentado, e comédia na medida.

Ok, tem vários clichês típicos desse tipo de livro, tem amor instantâneo (conheceu hoje e já a-m-a viu?rs), tem um final previsível, mas mesmo assim eu gostei!

Os personagens são bem construídos e se mostram imperfeitos o suficiente pra serem “reais”, mas o John deveria ter sofrido mais pra ficar com a George, porque né, larga a menina num aeroporto sem lenço nem documento e reaparece 7 anos depois achando que pode ficar com mãe e filha no mole? Tinha que penar um pouco!rs

simplesmente irresistível

Os diálogos da Lexie (a filha deles) com o John são bem legais também, e o fato de Georgeanne não ser “dentro dos padrões” (ela é uma mulher grande, cheia de curvas)  e ser disléxica também é interessante.

Outra coisa é que o livro foi escrito nos anos 80 e fala de coisas (fita cassete, tocador de fita, etc) que eu não ouvia desde mil novecentos e antigamente! Como o mundo mudou, né? Que coisa!rs

Enfim, é um romance água com açúcar, bem leve, sem grandes emoções, mas com uma leitura que flui fácil e que te prende do início ao fim. Bem o tipo de livro que a gente gosta de ler nas férias!

simplesmente irresistível

Ele é da editora Jardim dos Livros e paguei R$19,90 por ele (tem na Saraiva e na Cultura). Alguém já leu? Estão lendo o que?

Interessou? Já falei de outros dois livros da Rachel aqui no blog: Loucamente Sua e Sem Clima Para o Amor. Recomendo!

Beijos

Ju

07.12.2014

Livro da Semana: Sem Clima Para o Amor – Rachel Gibson

Assim que terminei de ler Loucamente Sua  (falei dele aqui), fui na livraria e comprei os outros livros da Rachel Gibson que encontrei, porque no quesito “desanuviar” (aprendi Van! rs) ela é top!

Sério, os livros são leves e despretensiosos, daqueles que a gente lê “numa sentada”, sabe? Tô adorando esse tipo de livro pra dar uma “aliviada” nos de filosofia que tô lendo no momento.

sem clima para o amor

O livro conta a história de Clare Wingate, uma jovem e bem sucedida escritora  (para desgosto de sua mãe) que sempre teve “dedo podre” pra relacionamentos e acabou “pegando” o noivo, até então o cara quase perfeito (só não era perfeito porque não gostava da coisa),  com o técnico da máquina de lavar roupas (pois é…rs).

No meio do caos acontece o casamento da sua melhor amiga, onde ela toma todas e amanhece na cama com Sebastian, seu “amigo” de infância, um jornalista meio nômade, famoso e lindo de viver que é filho de Leonard, um senhor que trabalhou por mais de 30 anos na casa da família de Clare.

sem clima para o amor

Eles se envolvem, Clare se apaixona e, mais uma vez, acha que foi pelo cara errado, já que ele não se encaixava na sua “forminha” de príncipe encantado, ou seja, não queria um relacionamento sério, muito menos família e filhos.  Paralelo a isso, o livro fala da relação nada fácil de Clare com a mãe e de Sebastian com o pai.

É fácil “se ver” na Clare, porque dedo podre todo mundo já teve um dia, assim como é fácil amar e detestar o Sebastian a todo momento, e tudo isso torna a história envolvente e gostosa de ler, o que é o ponto mais positivo do livro.

sem clima para o amor

A trama é simples, leve e divertida, a narrativa flui facilmente, é  “picante” na medida certa e os personagens foram bem construídos. Mas, é um livro previsível, daqueles que não surpreendem, entende? A mim não incomoda, principalmente quando se trata de um chick-lit,  mas acho bom avisar.

A única coisa que me incomodou, na verdade, é que o final foi muito apressado! Sério, nem deu pra ter aquele gostinho do clímax, e isso é sem graça, né? Mas, de qualquer forma, é um livro bem legal pra “relaxar” no final de semana ou levar pras férias (#ChegaLogo)!

sem-clima-para-o-amor

Ele tem 275 páginas, é da Editora Jardim dos Livros e custou R$19,90 numa promoção, mas vi na Cultura por R$34,90 e na Saraiva por R$20,80. Ah, a versão “digital” sai por R$9,50 lá na Cultura.

Alguém já leu? O que acharam? Aliás, o que vocês andam lendo? Dividam aí!

Beijos

Ju

O que você acha do JV?
Ju, amo seu blog!!! suas dicas!!! vc é maravilhosa com sua opinião honesta!!! Sempre quando quero comprar algum produto venho aqui pra ver o que…