08.12.2016

Óleo de Umectação Salon Line É Vegetal?

Quando postei no Youtube o vídeo com uma receita para acabar com as pontas ressecadas e detonadas, usei um Óleo  de Coco da Salon Line, que contém na embalagem a informação 100% vegetal, e geral questionou se o óleo de umectação Salon Line era mesmo vegetal, se servia pra umectar e coisas do tipo.

Tô com um vídeo pronto sobre ele pra subir hoje, mas achei que seria melhor começar esclarecendo isso aqui.

O que é óleo vegetal?

Óleo vegetal é, simplificando, uma gordura extraída de plantas, geralmente das suas sementes, sendo constituído por blocos de ácidos graxos e glicerol, podendo conter pequenas quantidades de outros lipídeos.

Eles podem ser utilizados na área cosmética, terapêutica e, via de regra, ser ingeridos, como o óleo de coco, por exemplo.

óleo de umectação salon line é vegetal

Uma coisa importante sobre óleos vegetais é que eles são extremamente sensíveis  ao calor,  oxigênio e, sobretudo, a luz, por isso é tão importante que eles sejam mantidos protegidos da luz, que não fiquem expostos ao ar e estejam embalados em garrafas escuras e, preferencialmente, em temperaturas baixas para evitar que oxidem e estraguem.

Se for pra indicar um óleo 100% vegetal, que tem o grau de pureza adequado e tudo o mais, indico o da Laszlo. Até o momento desconheço quem tenha óleos, tanto vegetais quanto essenciais, melhores.

Óleo de Umectação Salon Line é Vegetal?

O óleo de umectação Salon Line contém, como primeiro ingrediente, o óleo de coco. O segundo é um conservante e todos os outros são, simplificando,  fragrâncias e agentes auxiliares da fragrância. Ou seja, o único ativo presente nessa composição é o óleo de coco, as outras coisas são para conservar e “dar cheiro”, porque, veja bem, ele é um produto de uso cosmético.

Se a função dele é o uso cosmético nos cabelos, e se seu único ativo é o óleo de coco, pra mim ele é sim um óleo vegetal, mas não um óleo vegetal na acepção pura da palavra, e sim um óleo vegetal de uso cosmético específico para cabelos.

Tem diferença? Tem, mas olhando a indicação e os resultados pretendidos, não vejo razão para não usá-lo em umectações, por exemplo.

Claro que, achando facilmente, prefiro o da Laszlo, já que ele pode ser usado na pele, pode ser consumido por via oral e não tem aromas artificias, coisa que é complicada para quem tem alergias, mas não sejo razão para não usá-lo em umectações.

Se vocês enxergarem algum motivo, me mostrem, porque né, pode ser que eu não esteja vendo.

Usar ou não usar?

Já fiz críticas a Salon Line por achar que eles focam muito mais no público mais jovem, o que é um direito deles, inclusive,  mas preciso ser justa, gente. Não posso chegar aqui e falar que o óleo não é vegetal e que não trata o cabelo porque, para uso cosmético, ele, pra mim, é sim um óleo vegetal e trata o cabelo.

Inclusive, acho louvável a iniciativa da marca em criar um produto que facilite o acesso, já que muita gente reclama da dificuldade de encontrar, em farmácias e mercados, óleos vegetais para cabelos.

Tenho usado e gostado muito desse óleo, que é barato, facilmente encontrado e entrega um resultado super bom no meu cabelo.

Mais tarde solto o vídeo sobre ele, então se inscrevam lá no canal pra conferir, tá? Ah, e já estão participado dos desapegos de Natal? São 5 ganhadoras e um monte de prêmios legais, é só clicar aqui, ó.

Beijos, Ju♥

Quer mais dicas como essa? Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram ♥ Snapchat ♥ Twitter ♥ Pinterest ♥Facebook⇒   @jurovalendo
18.12.2015

10 Dicas de Beleza do Tempo da Vovó

E sim, elas funcionam!

Vamos falar de dicas de beleza do tempo da vovó? Tenho certeza que, assim como eu, vocês conhecem alguma, né?

Passei a infância indo pra fazenda da minha avó o tempo todo, coisa que só foi mudar lá pelos 14 anos, quando mudei de cidade, e em todo esse tempo vi muitas “receitas de beleza” do pessoal de lá, porque sim, eu sempre fui “a curiosa”, a que vai pra casa de todo mundo e quer saber de tudo, sabe? Ficava observando o que elas usavam e fazia um milhão de perguntas, e até hoje lembro o cheiro de certas receitinhas.

E, por incrível que pareça, minha vó Nete, que viveu na fazenda a vida toda e nunca deve ter ouvido falar em protetor solar e em todos esses cuidados que a gente não abre mão, tinha uma pele firme e sem manchas. O segredo, dizia ela, era o tal do Pond´s, que acho que todas usavam, e chapéu o dia todo pra proteger o rosto. Mas, lembro de outras coisas, olhem só:

Dicas de beleza do tempo da vovó

dicas de beleza do tempo da vovo

1. Bucha vegetal é amor!

Olha aí de onde vem meu vício por esfoliação, ó! Minha avó usava bucha vegetal todos os dias para esfoliar a pele, deixando-a lisinha (exagerada igual a mim, né? rs), e pra fazer uma massagem vigorosa na pele, estimulando a circulação e, dizendo ela, prevenindo a celulite.

Que a bucha esfolia muito bem, é fato. Já essa história de evitar e combater a celulite, não sei dizer, mas já li em vários lugares que as mulheres de antigamente usavam, além da bucha, crina de cavalo pra massagear o corpo e evitar a celulite. Será que funciona, gente?

2.Água maravilha na pele!

Já ouviram falar de água maravilha? Lá na fazenda tem em todas as casas, porque ela serve pra várias coisinhas e é bastante útil numa região de acesso mais difícil, onde é preciso viajar um tempinho até o posto de saúde/hospital mais próximo.

E, minha avó usava quando chegava em casa no final da tarde como tônico facial/loção pós-sol, coisa que, hoje, me preocuparia, porque apesar de ter Hamamelis Virginiana como ingrediente ativo, tem álcool, o que não é legal pra pele, né?

A Hamamelis tem ação adstringente, cicatrizante e anti-inflamatória, e é usada em compressa nas queimaduras de sol e em peles com acne, mas com esse álcool aí, sei não, viu?

3. Pés e mãos lisinhos com vaselina

Tá aí uma coisa que lembro nitidamente de vovó: o tanto que ela tinha os pés e joelhos lisinhos, e as mãos macias. E lembro também do cheiro disso, que não era muito legal (rsrs): vaselina! Hoje a gente acha vaselina “purificada” [falei sobre a Geleia de Vaselina nesse post aqui, e ela tem muitos outros usos], com a textura fácil de aplicar e muito menos viscosa, mas antigamente a bicha era preguenta e tinha cheiro de petróleo, apenas! hahaha

Minha avó, que era uma mulher sem vaidade, mas que se cuidava,  sempre aplicava esse troço fedido nas mãos, nos joelhos, nos pés e nos cotovelos antes de dormir, e foi dela que “herdei” essa mania de dormir toda cheia de creme, só que cremes cheirosos!

Hoje eu indicaria usar cremes potentes, mas naquela época, nessa região, não existiam muitas opções, né?

4. Mãos macias já!

Outra coisa que já a vi fazendo pra deixar as mãos lisinhas era deixá-las de molho numa “bacia” pequena com óleo (ela sempre usou o de coco, feito lá mesmo) e água morna. Quando as mãos ficavam muito grossas, o que era esperado pra quem vivia numa fazenda, ela “amaciava” assim, deixando as mãos de molho por 10 minutinhos. Acho bem melhor que a vaselina! rs

5. Óleo de coco nos cabelos

O cheiro que mais me lembra vovó Nete, depois de café, é coco, porque a vida inteira ela usou óleo de coco nos cabelos, e o que hoje a gente chama de umectação, antes era chamado de banho de óleo mesmo! hahaha Além dos banhos de óleo, ela, que tinha o cabelo bem liso, mas volumoso e pesado, usava umas gotinhas do óleo toda manhã pra “assentar” o cabelo.

O vício em óleo é de família, tá? Já falei muito de óleo de coco por aqui, e nesse post tem várias formas de utilizá-lo.

dicas de beleza do tempo da vovó

 6. Minancora

Quem aqui não lembra do cheiro de cânfora da Minancora? Lá na fazenda as mocinhas usavam essa pomada como desodorante (sim!) e nos pés para evitar o chulé, e é o tipo de produto que, sempre que vou por lá, vejo em cima das”cômodas”, assim como o leite de rosas e, hoje, o creme Nívea de latinha.

A Minancora tem vários usos e já falei sobre isso aqui no blog, quem quiser conferir é só clicar nesse post: As várias utilidades da Minancora.

7. Leite de Rosas

Sim, o Leite de Rosas também era o poder e todo mundo usava para limpar e clarear a pele (?), como tônico facial e como desodorante.

Não sei hoje, porque faz tempo que não vejo a composição do produto e lembro que recentemente eles foram reformulados, mas a quantidade de álcool era bem grande, o que poderia causar vermelhidão e irritação na pele, além de piorar a oleosidade por causa do efeito rebote.

8. Nada de unha amarelada!

Não lembro de já ter visto minha avó Nete usar esmalte, mas ela tinha unhas sempre clarinhas graças a uma receitinha que já compartilhei aqui no blog no post sobre como clarear unhas amareladas.

Basta, uma vez na semana, deixar as unhas de molho por 10 minutos numa vasilha com 250 ml de água, 1 colher (das de sopa) de água oxigenada volume 10 e 1 colher (das de chá) de bicarbonato de sódio, enxaguando em seguida. Funciona muito bem!

9. Touca de cabelo

Vocês acreditam que mês passado comprei uma touca de cabelo?  Juro valendo! hahaha Mostrei no Snapchat (jurovalendo, segue lá!) morrendo de vergonha, mas tenho que admitir: ela funciona!

Lembro claramente de minha avó, minhas tias e minha mãe usando essas toucas, geralmente de meia, e resolvi testar porque sempre acordo com o cabelo parecendo um fuê, sabe? E ficava retada quando fazia escova de noite e no dia seguinte o cabelo já estava uma bagunça. Pois bem, testei e, pra minha surpresa,   com ela o cabelo escovado acorda todo certinho. Recomendo, mas não na frente do marido/namorado!

10. Pés cansados

Quando os pés estão cansados, seja por causa do salto alto ou porque andamos muito durante o dia, o alívio é imediato quando a gente “mergulha” os pés por 20 minutos numa bacia com água morna e 3 colheres de vinagre [qualquer um].

Vovó fazia isso sempre, e além de aliviar o cansaço, isso ajuda a amaciar os pés, coisa que já falei por aqui no post do tratamento de choque para pés ressecados.

Com certeza tem muitas outras dicas e truques de beleza do tempo da vovó, umas que funcionam, outras que não me arrisco porque acho que não têm fundamento, e quero saber quais são as dicas que vocês aprenderam com as avós de vocês, contem aí!

Beijos e bom final de semana, Ju♥

06.02.2015

Umectação: Como fazer e Óleos Umectantes Preferidos!

Pedi pra que as meninas lá da Fan Page (bora papear por lá também!) deixassem sugestões de posts e a Veridiane Horjas fez uma pergunta que recebo muito por aqui, sobre os óleos que uso pra fazer umectação, então vamos começar com ela!

O que é e como fazer

Pra quem ainda não conhece, a umectação é o velho “banho de óleo”, feito com óleos ou manteigas vegetais para nutrir os fios, ajudando a reduzir o frizz, a controlar o volume, a doar brilho, reduzir o ressecamento, tratar pontas espigadas e muitas outras coisas.

Pra entender direito o que é a umectação, em quais casos ela é indicada e como funciona, recomendo esse post aqui.

umectação

São muitas as formas de usar óleos no cabelo, e a maioria delas está nesse post aqui.

Umectação quente ou fria: a umectação pode ser fria ou quente, e a fria é feita aplicando o óleo nos fios secos, do comprimento até as pontas (sem encharcar!), penteando e deixando o óleo agir no cabelo por, pelo menos, 1h.

Umectação Noturna: pra ter um resultado top faço de noite e só lavo no dia seguinte (lave como de costume), mas não dá pra fazer isso com o namorado ou marido do lado, viu? Tem coisas que os meninos não precisam ver! rs

Pra fazer a umectação quente é só amornar o óleo antes de aplicar nos fios (em banho-maria ou no micro, mas é amornar e não ferver, tá?), e isso é interessante porque ajuda bastante na penetração, o que garante resultados ainda melhores.

Existem dezenas, senão centenas, de óleos e manteigas vegetais que podem ser usados pra fazer umectação, e até prometi um “inventário” de óleos vegetais por aqui (que esqueci completamente, mas que vai sair!), mas vou me concentrar nos que mais uso e gosto, tá?

1. Umectação com Óleo de Coco:

Esse é um dos óleos que mais gosto pra fazer umectação e o que uso há mais tempo porque o efeito dele no meu cabelo é imediato. Deixa os fios muito macios, o cheiro não é ruim, ajuda demais a controlar e alinhar os fios, dá uma reduzida boa no frizz, trata pontas espigadas e é ótimo pra potencializar aquelas máscaras que a gente compra e não funcionam muito bem.

umectaçãoE quando o cabelo fica “duro”, até pelo excesso de queratina ou reconstrução, ele é a salvação, já que consegue dar uma boa “amolecida” na estrutura enrijecida dos fios.

Uso o da Copra (aquele de beber), que é vendido em lojas de produtos naturais, farmácias e mercados, e independente do que for comprar, optem sempre pelos 100% puros, porque se for misturado com óleo mineral (e os de uso cosmético, via de regra, são) não vai funcionar.

Nesse post aqui tem as várias formas de uso do óleo de coco, e lá tem bem mais informações.

2. Com Óleo de Abacate

Esse trata muito o cabelo, nutre e restaura, e acho uma maravilha pra quem tem o cabelo mais poroso, pra quem faz química ou está com os fios muito ressecados.

É bem emoliente, fortalece o cabelo, melhora o brilho, protege o cabelo dos raios solares e ajuda no controle dos fios. Ele também é incrível pra pele, inclusive pra estrias, mas falo disso em outro post, tá? Prometo!

Uso o da Laszlo e custa R$29,88 (compre aqui).

3. Com Óleo de Jojoba:

Óleo de jojoba é amor por vários motivos, só que o mais legal é que funciona em qualquer tipo de cabelo, dos mais finos aos mais grosso, sabe?

umectação

É rico em proteínas, minerais e antioxidantes e tem uma ótima ação umectante, emoliente e restauradora, ajudando a nutrir, amaciar, doar brilho e a dar “vida nova” aos fios. Também é excelente pra tratar o couro cabeludo oleoso e/ou com caspa ou descamação. Nesse post aqui tem mais indicações dele, formas de uso e outros detalhes.

Ele não “amolece” tanto os fios como o óleo de coco, mas trata bastante e é uma ótima opção pra aplicar nas pontinhas ou como anti frizz.

Gosto bastante do da Laszlo, que faz um dos melhores óleos do país, mas está esgotado. Vocês encontram em lojas de produtos naturais, e na net pode ter na Sabão e Glicerina, que vende vários óleos vegetais.

4. Com Óleo de Pracaxi:

É conhecido como o “silicone natural”, já que forma uma “capa” protetora que mantém os fios protegidos dos raios solares e evita a formação do frizz.

É um óleo com ação nutritiva e hidratante que mantém a umidade dos fios, controla o volume, ajuda na maciez, doa brilho, tem um efeito restaurador maravilhoso e deixa a textura dos fios mais sedosa.

Não tenho mais ele aqui, mas quando usei foi o da Laszlo (vende aqui), e várias marcas, inclusive a Kérastase, acrescentam esse óleo (e também o de abacaxi, coco e jojoba) em seus produtos.

5. Com azeite de oliva

A umectação de azeite é, sem a mais fácil de fazer, porque é o tipo de óleo que quase todo mundo tem em casa, né? É um óleo que ajuda a manter a hidratação dentro dos fios, forma uma película protetora e reduz o frizz, e o grande segredo do uso do óleo de oliva no cabelo é dar uma “esquentadinha” nele antes, e faço isso em banho-maria. Assim a penetração dele é maior e o efeito melhor! Ah, opte sempre pelo azeite extra-virgem, tá?

Fiz um apanhado geral, mas se tiver alguma dúvida deixa aí nos comentários que monto um post explicando tudinho, tá?

E vocês, costumam fazer umectação? Usam qual óleo? Gostam mais de qual?

Beijos

Ju

O que você acha do JV?
Eu acho esse blog maravilhoso. A Ju fala de tudo com muita emoção, muito carinho e ao mesmo tempo muita verdade, muita seriedade. Isso é…