Vizcaya
16.03.2016

Fórmula GZero Galena: Pra Deixar Tudo Durinho!

Será, gente?

Adoro essas inovações da indústria farmacêutica, e quando fui pra Consulfarma fiquei doida com o tanto de novidade que vi por lá, sabe? E agora a Galena me veio com essa tal de Fórmula GZero, que promete sustentação, firmeza e preenchimento. Música para meus ouvidos, cês entendem?

Tô a espera de um milagre mesmo e topando qualquer parada pra melhorar esse negócio, porque é fato que depois dos 30 a cabeça melhora, a gente fica mais segura, “mais mulher”, mais retada, mas de resto é ladeira abaixo mesmo, tem conversa não, viu? rs

Fórmula GZero Galena

Portanto, essa Fórmula GZero, que foi enviada pelas meninas da Artvitta, chegou em ótima hora, e se isso funcionar vou querer de balaio!

Fórmula GZero: que troço é esse?

Já falei por aqui que com o passar dos anos a produção de colágeno e elastina são reduzidas, assim como a absorção do silício, o que significa que a pele vai perdendo firmeza, elasticidade e sustentação, e foi justamente pra combater nisso que a Galena desenvolveu a Fórmula GZero, composta de 2 produtos, um de uso oral (IN) e outro de uso tópico (OUT) + 1 potencializador.

Fórmula GZero Galena

A fórmula de uso oral conta com Nutricolin, Cartidyss e Vitamina C, que é, basicamente, silício, essencial na formação do colágeno, ácido hialurônico e colágeno, que são vitais pra beleza e saúde da pele. Essa fórmula deve ser usada todos os dias pela manhã.

Já a fórmula de uso tópico contém Uplevity, que ajuda a devolver o viço e ajudar a manter o contorno facial. Esse deve ser aplicado de manhã e de noite.

Fórmula GZero Galena

E pra potencializar a coisa toda, tem o Radizen-Zn, um complexo com betacaroteno, vitaminas A, C e E, selênio e zinco, que ajuda não só na beleza da pele, mas na dos fios e das unhas. Ah, deve ser tomado todos os dias de manhã.

E isso funciona?

Comecei o tratamento hoje e como tenho o equivalente pra 30 dias, volto aqui no próximo mês pra contar o que achei, mas vou atualizando vocês pelo Snap (jurovalendo) e pelo Instagram (@jurovalendo), mas já aproveito pra deixar claro aqui que isso não é um publieditorial e que eu não estou recebendo absolutamente nada por isso, só acho que é uma experiência legal pra dividir com vocês, sobretudo pra quem, como eu, já passou dos 30 e anda tomando colágeno com café pra ver se a coisa anda! rs

Fórmula GZero Galena

E se alguém já fez uso, conta aí pra gente o que achou! O kit com os 3 produtos sai por R$199,00 lá na Artvitta, e é encontrado apenas em farmácias de manipulação.

Beijos, Ju♥

Vizcaya
20.11.2015

Colágeno Hidrolisado em Pó Ou em Cápsulas: Qual o Melhor?

Por uma pele mais durinha!

Já falei sobre colágeno hidrolisado por aqui uma vez, questionando se ele funcionaria ou não contra a flacidez, (veja aqui), e enquanto os cientistas não se decidem se funciona ou não, continuo tomando, primeiro porque me faz bem e sinto diferença, e segundo porque, depois dos 30, tô ” a espera de um milagre”, topando qualquer parada pra deixar a pele mais firme! hahaha

Acontece que, sempre que posto algo no instagram (@jurovalendo, segue lá!) ou no Face sobre colágeno, geralmente alguma foto dos meus sucos de colágeno, chovem perguntas sobre o bendito, e as dúvidas se concentram na “melhor opção”, se a versão em pó é melhor que a em cápsulas e assim por diante.

Eu tomo a versão em pó, a versão em cápsulas e como gelatina todo dia, porque né, com 33 anos o “ladeira abaixo” já começou, mas sou bem consciente da diferença e, principalmente, do poder de cada um deles, porque não, colágeno não é tudo igual!

colágeno hidrolisado em pó colágeno em cápsulas

Colágeno em pó X colágeno em cápsulas

É inquestionável que a versão em pó, via de regra, é muito mais concentrada, já que as cápsulas que encontrei, e procurei bastante, possuem, no máximo, 1g de colágeno, mas a grande maioria possui apenas 500mg, o que é uma quantidade irrisória pra fazer diferença.

Já a versão em pó tende a ser mais concentrada, e o ideal é optar por aquelas que têm a partir de 9g de colágeno por porção, ou seja, de 9 a 18 vezes mais que a versão em cápsula, o que garante que ele seja muito mais potente e que possa realmente fazer diferença na pele.

Colágeno com vitamina C faz diferença!

No mais, as versões enriquecidas com vitamina A, vitamina C e vitamina E, além de zinco, são as melhores, pois esses micronutrientes potencializam a síntese do colágeno, além de apresentarem ação antioxidante.

Pra quem acha que é besteira, aqui vai: a vitamina é importante no desenvolvimento e manutenção da pele, a vitamina C tem participação direta na síntese de colágeno no organismo, a vitamina E é um antioxidante poderoso, que combate os radicais livres e dá um “chega pra lá” no envelhecimento, e o zinco, que é de fundamental importância para a manutenção da pele.

Colágeno Hidrolisado: o que uso e como tomar

O colágeno hidrolisado em pó que uso é o da Sanavita, que tem várias versões, e agora tô usando o neutro (é o azul), e ele tem essas vitaminas todas, oferece 9g de colágeno por porção e não contém açúcar, adoçantes, lactose, glúten conservantes ou corantes artificiais, mas existem outras marcas que comercializam colágeno em pó que também oferecem as tais das 9g por porção.

Uso esse porque já conheço há tempos e acho fácil por aqui, mas na Natue, por exemplo, dá pra encontrar várias outras opções com os mesmos benefícios e com o preço bem menor.

A versão em cápsulas que tomo é da Sundown Naturals, e ganhei da marca, mas dificilmente compraria, porque ele vem com 100 cápsulas, mas cada cápsulas contém apenas 650mg de colágeno, o que é muito menos do que as 9g recomendadas, né? No mais, ele custa R$51,00, enquanto que o da Sanavita que falei acima custa R$63,00. Ou seja, o custo-benefício da versão em pó é infinitamente melhor!

Simplificando: se for pra tomar, escolha a versão hidrolisada em pó, com, ao menos, 9g de colágeno por porção, que é a que tem mais chances de realmente fazer diferença.

Alguém aqui toma? Sentem diferença? Tomam qual? Compartilhem aí!

Beijos, Ju♥

28.05.2015

Diário da Dieta: Emagrecimento X Flacidez

Tão acompanhando o Diário da Dieta? Promete postar mais sobre isso aqui, mas acompanhem lá no insta (@JuroValendo) que por lá sempre tem coisinhas relacionadas ao meu emagrecimento, tá? E essa semana vamos papear sobre um pesadelo chamado flacidez!

Como já emagreci e engordei algumas vezes, e como dessa vez já perdi bastante peso (mais de 30!), muita gente me questiona sobre a flacidez, sobre como está minha pele, minhas musculatura e coisas do tipo, daí achei que seria legal falar mais sobre isso aqui, sabe?

flacidez-perda-de-peso-e-emagrecimento

Flacidez da pele X Flacidez muscular

Antes de começar a falar da minha experiência, quero explicar que a flacidez da pele é bem diferente da flacidez muscular, já que essa última é mais “profunda” e difícil de tratar, vez que envolve não só a redução do tônus, mas também a perda muscular mesmo. Já a flacidez cutânea é mais “superficial” e fácil de tratar, e está relacionada com a perda gradativa das fibras de colágeno.

Várias coisas causam ou intensificam a flacidez, inclusive o tabagismo, o sedentarismo, a alimentação, o efeito sanfona e por aí vai. No meu caso, ela é mais superficial e está relacionada principalmente com o “engorda e emagrece”, além da idade, porque né, já tenho 32 anos e a produção das fibras de colágeno já não é a mesma.

Flacidez: O corpo tem “memória”

Acontece que, pelo tanto que já engordei e emagreci (falei sobre isso nesse post aqui), era pra ter bem mais flacidez do que tenho, porque a verdade é que, exceto pelos bracinhos (sempre eles, rum!) e pela parte interna da coxa, o tônus da minha pele não tá muito ruim não.

O fato de comer bastante proteína e consumir muito colágeno e aminoácidos ajuda, assim como a atividade física, que ainda é bem leve, mas eu acredito nessa história de que o corpo tem memória, sabe?

Quando criança eu fiz ginástica olímpica (por uns 6 anos) e era toda “troncudinha” e musculosa, daí quando parei de fazer ginástica olímpica o corpo foi ficando mais “normal”, mas sempre durinho, e mesmo quando engordei e emagreci muito não “sobrou pele”.

flacidez-perda-de-peso-e-emagrecimento

Claro que hoje o tônus da minha pele não é o mesmo que seria se eu não tivesse passado a vida no efeito sanfona, claro que não tô durinha, mas, de verdade, não é algo que me incomode não, sabe?

Pode ser que, quando emagrecer mais, a flacidez se acentue e eu fique incomodada, mas atividade física ta aí pra ajudar, assim como os tratamentos estéticos, que também ajudam muito! Já até pesquisei sobre isso e vi bons resultados com carboxi, que eu jamais farei porque dói demais (já tentei anos atrás pra tratar estrias!rs), a radiofrequência, o infravermelho e alguns outros que não têm aqui em Jee (pois é… rs).

A curto prazo o que pretendo fazer é achar alguém pra fazer massagem modeladora, porque já fiz tempos atrás e adorei, embora não ache que faça efeito algum na flacidez, mas vejo diferença no “contorno” corporal, sabe?

Ainda preciso conversar com minha dermato sobre isso, ver o que ela sugere em termos de tratamentos, de suplementos e tal, mas só vou fazer isso lá pra julho, porque tô sem tempo nenhum. Então, se alguém tiver alguma diquinha, conta aí que vou adorar!

Ah, e pra ver os demais posts do Diário da Dieta, o antes e depois, como funciona a minha dieta, o que pode e não pode, é só clicar aqui!

Beijos, Ju♥

O que você acha do JV?
Eu simplesmente amo esse blog!!! Já perdi a conta de quantos produtos comprei depois de ver resenhas daqui, porque sei que são reais. Bioextratus foi…